Huawei, ainda ampliada: EUA dão mais 90 dias

O governo dos EUA decidiu conceder à Huawei uma extensão adicional de 90 dias, antes da proibição de fazer negócios com empresas americanas. É a segunda extensão da chamada “licença geral temporária” após a de agosto. O novo prazo foi estabelecido para 16 de fevereiro de 2020.

O motivo dessa concessão é atribuível às dificuldades de algumas empresas americanas em substituir prontamente os equipamentos de rede, especialmente nas áreas rurais, dependente da Huawei principalmente em relação às redes 3G e 4G.A extensão temporária da licença geral permitirá que as operadoras continuem atendendo a clientes em algumas das áreas mais remotas dos Estados Unidos que, de outra forma, permaneceriam no escuro“Disse o secretário de Comércio Wilbur Ross, enfatizando que”o Departamento continuará monitorando rigorosamente as exportações de tecnologia confidencial para garantir que nossas inovações não sejam exploradas por aqueles que possam ameaçar nossa segurança nacional “.

A Huawei continua reiterando que “esta decisão não altera o fato de que a empresa foi tratada injustamente” Enquanto, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Pequim instou os Estados Unidos “parar de abusar dos controles de exportação para discriminar empresas de outro país em nome da segurança nacional e parar de politizar um problema comercial “. No entanto, mesmo neste caso, a extensão permitirá que o gigante de Shenzhen continuar mantendo as redes de telecomunicações existentes e fornecendo atualizações de software para smartphones já no mercado.

Em suma, a resolução não parece próxima, mas – como sabemos – ela pode chegar a qualquer momento. A Huawei foi incluída no Lista de Entidades em maio acusado de suposta espionagem em favor do governo de Pequim. Cobranças sempre rejeitadas pelo fabricante que, entretanto, começou a desenvolver um plano B, principalmente em relação à substituição do Android a bordo de seus smartphones.

O HarmonyOS pode ser uma solução e, nas próximas horas, a Huawei deverá anunciar seus planos futuros relacionados ao seu sistema operacional proprietário. Até agora, a primeira grande vítima da proibição foi a série Mate 30, que não conseguiu aproveitar os serviços e aplicativos do Google. O próximo topo de gama será o P40, que – como tradição – deve ser anunciado em março.

Naquela época, os Estados Unidos deveriam ter tomado uma decisão final sobre o destino a ser reservado para a Huawei e o P40 poderia – por um lado, estrear com todo o pacote do Google ou poderia ser o primeiro smartphone com o HarmonyOS a bordo. Veremos! O compromisso agora está marcado para 16 de fevereiro de 2020, o dia em que a extensão recém-concedida expirará.