Huawei, agora o que acontece com o Android? Aqui est√° o cen√°rio mais prov√°vel

Decis√£o do Google de suspender a colabora√ß√£o com a Huawei provocou um acalorado debate. As d√ļvidas dizem respeito, sobretudo, √† situa√ß√£o da empresa chinesa em rela√ß√£o ao Android, um sistema operacional que caracteriza h√° anos os dispositivos m√≥veis da gigante Shenzen. Muitos se perguntam se o rob√ī verde pode continuar sendo usado pela empresa liderada por Richard Yu, sem esquecer o destino dos produtos que j√° est√£o no mercado. Vamos tentar esclarecer.

Futuro Huawei – smartphones Honor

Vamos primeiro esclarecer um aspecto que j√° antecipamos no artigo publicado ontem √† noite. A decis√£o do Google diz respeito √† transfer√™ncia de produtos de hardware e software, excluindo, no entanto, aqueles cobertos por uma licen√ßa de c√≥digo aberto. Esse esclarecimento, que foi um pouco abafado, na verdade representa um ponto crucial na hist√≥ria. De fato, o Android est√° dispon√≠vel no mercado em duas vers√Ķes: uma comercial, vendida pela empresa Mountain View com uma licen√ßa de usu√°rio real que, entre as v√°rias condi√ß√Ķes, tamb√©m fornece acesso a v√°rios servi√ßos, como a Play Store, YouTube , Gmail, s√≥ para citar alguns; um c√≥digo aberto, desprovido desses elementos.

Após a mudança da empresa Mountain View, a Huawei não deve mais ter acesso à versão comercial do Android, mas, contextualmente, deve poder adotar o código-fonte aberto em seus próximos smartphones. Na pendência de um comunicado de imprensa oficial, o cenário mais provável é ver os dispositivos da empresa chinesa globalmente com o sistema operacional do Google a bordo, mas sem todo o G-Suite e com um nível de atualização mais baixo do que o versão comercial (por exemplo, os patches de segurança chegam com um pequeno atraso).

A situa√ß√£o presente nos dispositivos Huawei da China poderia, portanto, se estender para todo o mundo. Qualquer pessoa que tenha importado smartphones desse tipo (talvez por meio das lojas on-line habituais) encontrou um dispositivo com Android a bordo, mas sem todos os servi√ßos do Google (incluindo a Play Store), para ser instalado posteriormente por procedimentos espec√≠ficos. Obviamente, n√£o ter o G-Suite dispon√≠vel oficialmente √© uma limita√ß√£o significativa: adeus √† Play Store, Gmail, Google Maps, backups do WhatsApp no ‚Äč‚ÄčDrive, todos substitu√≠dos por servi√ßos propriet√°rios ainda n√£o prontos para a Europa.

Nesse cen√°rio, as declara√ß√Ķes feitas h√° dois meses por Richard Yu em entrevista ao portal alem√£o Welt assumem um peso decididamente diferente. Naquela ocasi√£o, de fato, o CEO da Huawei confirmou a exist√™ncia de um sistema operacional propriet√°rio, a ser usado no caso de a empresa n√£o conseguir tirar proveito do Android. Quem sabe se a situa√ß√£o que surgiu pode levar o p√© a avan√ßar ainda mais no acelerador deste projeto.

Atual Huawei – smartphones Honor

‚ÄúA Huawei fez contribui√ß√Ķes substanciais para o desenvolvimento e crescimento do Android em todo o mundo. Como um dos principais parceiros globais do Android, trabalhamos em estreita colabora√ß√£o com sua plataforma de c√≥digo aberto para desenvolver um ecossistema que beneficiou os usu√°rios e o setor. A Huawei continuar√° fornecendo atualiza√ß√Ķes de seguran√ßa e servi√ßos p√≥s-venda a todos os smartphones e tablets Huawei e Honor existentes que cobrem aqueles que j√° foram vendidos ou ainda est√£o dispon√≠veis globalmente. Continuaremos a construir um ecossistema de software seguro e sustent√°vel, a fim de fornecer a melhor experi√™ncia para todos os usu√°rios em todo o mundo “.

Há pouco tempo, chegou a primeira posição oficial da Huawei em relação a esse assunto. Previsivelmente, a empresa chinesa não foi longe demais, mas forneceu um esclarecimento importante sobre os smartphones já existentes no mercado: eles continuarão a funcionar regularmente e a assistência pós-venda será garantida. Uma situação consistente com o que já foi declarado pelo Google, que confirmou precisamente o fato de que os serviços de segurança Play Store e Play Protect continuarão a funcionar nos dispositivos da gigante Shenzen que já estão no mercado.

Portanto, isso deve garantir, por exemplo, o lan√ßamento de patches de seguran√ßa ao longo do tempo. Discurso diferente para o lan√ßamento de atualiza√ß√Ķes para vers√Ķes subsequentes do Android. Apenas nas √ļltimas semanas, a Huawei come√ßou a dar indica√ß√Ķes oficiais sobre a atualiza√ß√£o para o Android Q para produtos como a nova linha P30, atualmente baseada no Pie. Caso a situa√ß√£o que surgir n√£o se resolva, provavelmente ser√° dif√≠cil ver os smartphones da empresa chinesa atualmente no mercado recebendo vers√Ķes subseq√ľentes do sistema operacional do Google.

No entanto, teremos que esperar por declara√ß√Ķes oficiais espec√≠ficas do Google e da Huawei para entender, concretamente, quais ser√£o as consequ√™ncias reais da suspens√£o da colabora√ß√£o. Os cen√°rios descritos neste artigo, atualmente, parecem os mais prov√°veis. Atualizaremos voc√™ a cada desenvolvimento desta hist√≥ria.