Huawei, acordo com a TomTom para substituir o Google Maps

O plano alternativo da Huawei está em pleno desenvolvimento. A gigante chinesa assinou um acordo com a TomTom para aproveitar os serviços de mapas e navegação da empresa holandesa em aplicativos para smartphones. Como sabemos, a empresa de Shenzhen foi incluída – em maio – dentro do Lista de Entidades dos EUA por “razões de segurança nacional”.

A proibição efetivamente impede que as empresas americanas negociem com a Huawei. Somente no último período algumas empresas estão recebendo licenças especiais do Departamento de Comércio. Entre estes, ainda está faltando Google que não pode conceder o uso do sistema operacional Android em sua forma mais completa nos smartphones da casa chinesa. Isso implica na ausência de alguns aplicativos que se tornaram uso diário para usuários, como o Google Maps.

Por esses motivos, a Huawei começou a trabalhar imediatamente para encontrar soluções a serem usadas como alternativa aos serviços e aplicativos da Big-G. É neste contexto que se insere o acordo com a TomTom que – segundo o porta-voz Remco Meerstra – já foi concluído há algum tempo, mas que só agora foi tornado público.

A Meerstra não divulgou os detalhes do acordo. No entanto, a Huawei agora poderá usá-lo mapas da empresa holandesa, informações de tráfego e software de navegação desenvolver aplicativos para smartphones que não poderão confiar no Google Maps.

De qualquer forma, a palavra final sobre a questão entre Huawei e Estados Unidos será anunciado em 16 de fevereiro, o dia em que a extensão concedida pelo Departamento de Comércio dos EUA expirará. Se a proibição for final, a gigante de Shenzhen terá que se despedir do Google e de muitos outros fornecedores. Se, no entanto, os EUA recuassem, a situação voltará ao normal.

A impressão é que – qualquer que seja a decisão tomada – a Huawei vai buscar igualmente o plano B para tentar reduzir ao máximo a dependência dos EUA e evitar – no futuro – estar em situações semelhantes.