Huawei, a alternativa ao Android realmente existe: tudo o que sabemos até hoje

Huawei est√° trabalhando em um sistema operacional propriet√°rio, que pode representar uma alternativa concreta ao Android e iOS. As not√≠cias est√£o no ar h√° meses, bem antes da chegada da proibi√ß√£o do governo dos Estados Unidos. No entanto, o decreto executivo assinado por Donald Trump acelerou inevitavelmente os tempos e, como confirmado por v√°rias declara√ß√Ķes da administra√ß√£o da empresa chinesa, o novo sistema operacional pode estar pronto para o outono de 2019.

A confirma√ß√£o de tudo isso veio de dois caracteres oficiais da Huawei: de um lado, o CEO Richard Yuinterveio sobre o assunto em uma declara√ß√£o emitida ao jornal Global Times; por outro, Abraham Liu, vice-presidente do gigante de Shenzen para a regi√£o europeia, presente em Bruxelas no Centro Europeu de Ciberseguran√ßa, que falou da “chegada com desconto de uma alternativa ao Android em rela√ß√£o √† impossibilidade superada de usar a plataforma do Google”. Em suma, o novo sistema operacional ser√° criado, pelo menos no estado atual das coisas.

Novo sistema operacional da Huawei

Mas o que sabemos sobre esse sistema operacional? Em primeiro lugar, parece que a empresa chinesa iniciou seu desenvolvimento desde 2012, com a lógica de poder lutar a longo prazo com Android e iOS que, entretanto, criaram um verdadeiro duopólio no mercado de smartphones. Seria, portanto, um projeto enraizado no tempo, que confirmaria o desejo da Huawei de ser cada vez mais independente de empresas de terceiros. Uma lógica muito semelhante à decisão de fabricar processadores em casa, os Kirins de fato.

Internamente o sistema operacional seria conhecido como HongMengOS, uma nomenclatura que, no entanto, deve ser alterada com a chegada concreta ao mercado. Hoje em dia, √© dif√≠cil conseguir a hip√≥tese de seu nome definitivo, mas n√£o h√° d√ļvida de que isso representaria o maior desafio comercial da Huawei. De fato, se, por um lado, a empresa chinesa pode contar com um ecossistema j√° estruturado (servi√ßos em nuvem, plataforma de streaming de v√≠deo etc …), este √ļltimo inevitavelmente precisar√° ser aprimorado, especialmente em mercados fora da China. E depois h√° a quest√£o das aplica√ß√Ķes.

A partir deste ponto de vista A Huawei poderia tirar proveito da vers√£o de c√≥digo aberto do Android. N√£o est√° exclu√≠do que o novo sistema operacional possa se basear no kernel do rob√ī verde, no qual talvez a interface EMUI propriet√°ria possa ser aplicada, √† qual os usu√°rios est√£o acostumados. A imagem seria conclu√≠da com a ado√ß√£o de uma loja alternativa √† Play Store, j√° que esta, no estado atual, n√£o pode ser usada pela empresa chinesa.

Nesse sentido, a abertura de negocia√ß√Ķes com a Aptoide, sobre as quais falamos em um artigo dedicado, assume um sentido completo. A famosa loja online de aplicativos de origem portuguesa, atrav√©s do CEO Paulo Trezentos, confirmou o di√°logo com a Huawei, que ainda estaria nos est√°gios preliminares. Essa poderia ser a alternativa concreta √† Play Store, disponibilizando no entanto um grande n√ļmero de servi√ßos aos usu√°rios.

Tudo parece fácil, mas na realidade não é. Como já foi dito, hoje parece quase utópico pensar em quebrar o domínio do Android e iOS, sem mencionar como, a impossibilidade de usar os serviços do Google, representa um enorme limite em nível comercial, com o qual o novo sistema operacional da Huawei ainda deve Faça as contas.

Smartphones Huawei atualmente no mercado

Isso foi repetido v√°rias vezes, com garantias oficiais da empresa chinesa e do pr√≥prio Google. Smartphones Huawei j√° est√£o no mercado (e, portanto, nas m√£os dos usu√°rios) continuar√° a funcionar regularmente, tamb√©m em rela√ß√£o aos servi√ßos Big G. A assist√™ncia p√≥s-venda e as atualiza√ß√Ķes de seguran√ßa ser√£o garantidas. Sob esse ponto de vista, no entanto, a situa√ß√£o n√£o √© clara, pois o gigante de Shenzen parece ter se referido √†s corre√ß√Ķes de seguran√ßa, enquanto a empresa de Mountain View do Play Protect √© atualizada. Aguardamos comunicados de imprensa oficiais.

Eu acho que a hipótese, temida por algumas fontes, de que a Huawei possa atualizar os smartphones atualmente no mercado para um novo sistema operacional proprietário (uma possibilidade baseada na adoção do kernel do Android) é altamente improvável. Seria de fato uma operação economicamente importante, o que também complicaria os planos da empresa chinesa. Claro, permanece o principal problema de atualização, por assim dizer, quem deve trocar os dispositivos atuais de Andorid Pie para Android Q: no estado atual das coisas, parece haver poucas possibilidades.

Diante de uma imagem t√£o complexa, tudo deve ser levado com um alicate. Os protagonistas (governo dos EUA, empresas dos EUA e Huawei) ainda n√£o resolveram oficialmente todas as d√ļvidas e, ao mesmo tempo, a hist√≥ria √© enriquecida com not√≠cias praticamente todos os dias. No entanto, n√£o h√° d√ļvida: l√≠quido do que aconteceu, um novo sistema operacional, apoiado por um dos principais players do setor, poderia representar potencialmente essa centelha de novidades que o mercado de smartphones parece precisar tanto.