HTC, a ilustre vítima do mercado de smartphones

HTC 10 mal chegou a um milhão de unidades vendidas. Esses dados são suficientes para entender a posição atual da empresa de Taiwan no mercado de smartphones. Durante 2016, receita despencou 44%, provocando um efeito dominó inevitável o que levou à demissão de alguns dos personagens que haviam contribuído significativamente para as glórias de alguns anos atrás.

imagem corporal htc 1 Sensation
HTC Sensation

Última em ordem cronológica Jason Mackenzie, que ocupou o cargo de vice-presidente executivo global. Um nome parcialmente desconhecido para a maioria, mas que desempenhou um papel determinado no que tem sido o sucesso de HTC, especialmente no mercado dos EUA. Sob a direção de Mackenzie, por exemplo, a empresa de Taiwan conseguiu se atrasar nos EUA. Em alguns trimestres de 2011, mesmo maçã.

Uma possibilidade inimaginável hoje em dia, mas que na verdade refletia o excelente trabalho estratégico realizado por HTC. De fato, a empresa atualmente liderada por Cher Wang foi a primeira a acreditar em Android, colocando no mercado, em 2008, o smartphone que entrou na história como HTC Dream (realmente comercializado sob a nomenclatura T-Mobile G1)

HTC portanto, ele havia tomado a fase ascendente de sua parábola. Em 2010 foi escolhido por Google para a produção de outro dispositivo que permaneceu na imaginação coletiva, a saber, a Nexus One. Naqueles anos, a empresa de Taiwan foi classificada por Fast Company como a 31ª empresa mais inovadora do mundo.

O √°pice da par√°bola √© tocado em 2011, quando HTC apresenta a gama de smartphones Sensa√ß√£o e simultaneamente adquire 50% da Beats Audio (hoje propriedade ma√ß√£) por US $ 300 milh√Ķes. A empresa de Taiwan se torna o terceiro maior fabricante de telefonia em escala global e √© justamente nesse ponto que a fase descendente come√ßa inesperadamente.

Em 2012, √© apresentado o novo topo de gama Um X que, com base no processador Tegra 3 do Nvidia, mostrou limita√ß√Ķes √≥bvias em rela√ß√£o ao desempenho do sistema. Simultaneamente, o fen√īmeno Samsung explodiu, no mercado de smartphones, gra√ßas a Galaxy S3e a partir desse momento HTC n√£o foi mais capaz de acompanhar seus concorrentes diretos.

imagem corporal HTC One 2 X
HTC One X

A dr√°stica queda nas receitas levou √† venda de 50% dos Beats Audio por uma quantia insignificante (estamos falando de 150 milh√Ķes de d√≥lares ed.), sobretudo considerando o desembolsado por ma√ß√£ para adquirir a empresa inteira, ou US $ 3 bilh√Ķes. A empresa de Taiwan tentou posteriormente corrigir a situa√ß√£o inaugurando uma nova gama de smartphones com o Um M7, mas sem obter os resultados desejados.

O resto √© hist√≥ria recente. HTC representa o exemplo claro de como o saldo do mercado de smartphones √© fraco. Isso explica por que tanta aten√ß√£o da m√≠dia no caso de Galaxy Note 7, o que poderia representar uma “porta deslizante” real para Samsung, um pouco como o que aconteceu com HTC com o Um X.