Hacker dinamarquês é preso por lavagem de dinheiro na forma de Bitcoin

Bitcoin Um hacker dinamarquês de 33 anos foi condenado a quatro anos de prisão por lavagem de dinheiro na forma de Bitcoin. Segundo o tribunal, o réu sabia de onde vinha o dinheiro que recebia.

As autoridades dinamarquesas são bastante rigorosas com o cibercrime e estão fazendo todo o possível para levar os hackers à justiça.

Como mencionado acima, o acusado sabia que o dinheiro que recebia vinha de atividades criminosas. O acusado chegou a admitir seu ato e, por isso, o tribunal o condenou a quatro anos e três meses.

O 33-year-old supostamente pegou o dinheiro e deu para o Bitcoin. Ele então enviou o Bitcoin para contas no exterior.

A prisão do acusado foi acidental, pois seu crime foi descoberto durante as investigações de outro caso.

“Através de uma investigação sobre uso indevido de cartão de crédito, descobrimos uma conta bancária estrangeira na qual o Bitcoin estava sendo transferido do jogador de 33 anos”, disse o policial.

O jogador de 33 anos também é acusado de hackear.

A polícia dinamarquesa parece ter feito um bom trabalho e os líderes têm orgulho de dizer que também são capazes de combater o cibercrime.

“Temos as habilidades e estamos dispostos a priorizar a investigação de casos complexos na Internet”.

No entanto, esse sucesso foi resultado de uma colaboração entre a Polícia do Atlântico Norte e a unidade de pesquisa de TI dinamarquesa NC3.

A Dinamarca atribui uma importância particular aos crimes relacionados ao Bitcoin e outras criptomoedas. Seu exemplo é seguido por outros países, como o Canadá, cujas autoridades também impõem severas multas. Vários indivíduos também foram presos na Índia por atividades ilegais com criptomoeda.