Google Shopping: 41 empresas acusam o Google de concorrência desleal

Google ShoppingO Google tornou-se novamente um tópico de discussão, como muitos Os concorrentes europeus no campo das compras on-line enviaram uma carta à Autoridade Europeia da Concorrência e acusaram a empresa de concorrência desleal..

Segundo a Reuters, a carta foi enviada à vice-presidente da Comissão Europeia da Concorrência, Margrethe Vestager, e afirmou que O Google não atendeu a sua solicitação (da Vestager), que afirmou que a empresa deve parar de favorecer seu próprio serviço de comparação de preços, o Google Shopping, sobre os concorrentes.

Em 2017, a Vestager impôs uma multa de € 2,42 bilhões ao Google por explorar a popularidade de seu mecanismo de pesquisa para promover seus serviços.

No ano passado, o Google recebeu outra multa (1,5 bilhão de euros) por abusar da publicidade on-line.

A reclamação atual foi feita por 41 oponentes do Google Shopping. Enquanto isso, Vestager e sua equipe já estavam investigando a possibilidade de promover outro serviço do Google, Google for Jobs, e constatou que a empresa também estava usando concorrência desleal.

A denúncia veio de vários serviços de compras europeus (da Espanha, República Tcheca, Reino Unido etc.).

Os fundadores do serviço britânico Foundem, Adam e Shivaun Raff, foram os principais acusadores do Google Shopping.

As empresas que assinaram a carta afirmam que “são ameaçados pelo Google, pois a empresa não cumpre a lei “.

O Google alega estar em conformidade com os requisitos da UE

No entanto, as 41 empresas afirmam que as práticas do Google levarão outros serviços de compra para fora do mercado.

“Google continua a avaliar e exibir seu serviço de compras de maneira mais favorável que os serviços concorrentes em suas páginas de pesquisa, para que o abuso nunca pare “, disseram as empresas.

As empresas também disseram que os supostos esforços do Google para apresentar suas práticas de acordo com os requisitos da Comissão da Concorrência pioram as coisas para seus concorrentes.

O Google disse que as 41 empresas que enviaram a carta à Comissão Europeia representavam apenas 6,8% do número total de serviços de compras online. Ele também disse que as mudanças que a empresa fez ajudaram muitos serviços e não apenas o Google Shopping.