Google apresenta Adiantum: criptografia para smartphones menos potentes

O Google lançou oficialmente o Adiantum, a nova forma de criptografia para proteger os dados armazenados em dispositivos com menor poder de processamento. A criptografia atual usada em dispositivos Android de médio e alto nível utiliza Advanced Encryption Standard (AES), que não é suportado pelos smartphones Android One.

Esses terminais geralmente sĂŁo equipados com SoCs low-end, como o ARM Cortex-A7, assistidos por um Ășnico Gigabyte de RAM. A criptografia estĂĄ desativada por padrĂŁo ou estĂĄ totalmente ausente, pois O AES Ă© tĂŁo lento que Ă© inĂștil se vocĂȘ nĂŁo tiver hardware criptogrĂĄfico dedicado. Para garantir o mesmo nĂ­vel de segurança para todos os usuĂĄrios do robĂŽ verde, o gigante de Mountain View queria oferecer uma solução alternativa e igualmente vĂĄlida.

O Adiantum foi desenvolvido para qualquer dispositivo de baixa potĂȘncia baseado em Linux, incluindo relĂłgios inteligentes e dispositivos mĂ©dicos. Use o cĂłdigo de fluxo ChaCha20, mais rĂĄpido que o AES quando estiver faltando aceleração de hardware. O novo mĂ©todo de criptografia Ă© executĂĄvel em dispositivos com Android 9 e superior. Obviamente, se o dispositivo tiver hardware dedicado, o AES deverĂĄ ser usado.

O Google forçou todos os fabricantes a integrar o suporte a um sistema criptogrĂĄfico a partir do Android 6, com algumas exceçÔes relacionadas a dispositivos menos potentes. O Adiantum visa eliminar essas exceçÔes. Na pĂĄgina dedicada, vocĂȘ pode ver a melhoria do desempenho do Adiantum em um dispositivo equipado com o ARM Cortex-A7 SoC em comparação com o algoritmo AES-256-XTS.