Fitbit Heart Study, um estudo para avaliar a fibrilação atrial em seus dispositivos

A Fitbit lançou um estudo em larga escala com o objetivo de entender se seus dispositivos são capazes de detectar fibrilação atrial, uma das irregularidades mais comuns do batimento cardíaco. O Fitbit Heart Study é destinado a usuários americanos que possuem um dispositivo de marca capaz de monitorar sua frequência cardíaca. O estudo está aberto a cidadãos com mais de 22 anos de idade, mesmo que a esperança seja de que os sujeitos de maior risco, ou seja, com mais de 65 anos, participem.

Os dispositivos Fitbit (smartband e smartwatch) usam a tecnologia fotopletismogr√°fica para medir o fluxo sangu√≠neo. A fotopletismografia √© uma t√©cnica utilizada nos dist√ļrbios da circula√ß√£o perif√©rica. Por esse motivo, eles podem ser √ļteis para identifique qualquer batimento card√≠aco irregular, gra√ßas ao uso de um algoritmo.

Al√©m disso, especialmente as bandas inteligentes podem ser particularmente adequadas para esse tipo de detec√ß√£o em virtude da grande autonomia de que geralmente gozam. A longa dura√ß√£o da bateria significa que os usu√°rios usam os dispositivos por mais tempo e, principalmente, durante a noite. √Č precisamente quando o corpo est√° em repouso que as irregularidades podem ser melhor protegidas.

Se os participantes receberem uma notificação de ritmo irregular, será fornecido aconselhamento médico gratuito por videochamada. Os resultados do estudo serão utilizados pelo Fitbit para trazer evidências de apoio ao pedido de aprovação para os órgãos competentes, como a Food and Drug Administration, para garantir que a função de detecção de fibrilação atrial é integrada e aprovada em seus dispositivos.