Facebook: sem controle de idade para usuários

kids_facebook A rede social admite que não possui um mecanismo para certificar que os membros têm mais de 13 anos, conforme exigido por seus regulamentos.

Falando na Oxford Media Convention no Reino Unido ontem, o porta-voz do Facebook, Simon Milner, reconheceu que a rede não tem como impedir que uma criança com menos de 13 anos de idade ganhe um perfil. De acordo com as regras de uso <…>

da plataforma, para se registrar, você deve ter mais de 13 anos. Na realidade, porém, as regras se aplicam apenas à teoria, uma vez que não há mecanismo para certificar a idade dos membros.

O resultado é que, entre os 1 bilhão de membros do Facebook, há muitas crianças mais novas, mesmo a partir dos cinco anos. Uma pesquisa do Hellenic Center for Safe Internet, em colaboração com a Panhellenic School Network, mostrou que 1% das crianças na Grécia têm uma conta no site de redes sociais, uma porcentagem que sobe para 15% dos alunos do ensino fundamental.

Na Grã-Bretanha, o Facebook é responsável por 34% das crianças de 9 a 12 anos, de acordo com Sonia Livingstone, professora de psicologia social da London School of Economics. Alguns estudos estimam que, globalmente, 25% das crianças nessa faixa etária tenham uma conta na rede.

Simon Milner admitiu que o problema é “espinhoso” para sua empresa, relata o Guardian. “Não temos um mecanismo para eliminar o problema”, afirmou. “O Facebook realmente prevê que seus usuários devem ter mais de 13 anos, assim como o YouTube. Isso não ocorre porque acreditamos que a rede não é segura, mas devido à legislação dos EUA para proteger a privacidade das crianças na Internet. É que nossa regulamentação é universal “.

Por sua vez, Livingstone previu que, no futuro, a porcentagem de crianças de 9 a 12 anos com perfis no Facebook aumentará, estimando que o mesmo acontecerá com crianças menores. No entanto, ele enfatizou que, em certas idades, a atitude dos pais desempenha um papel importante. “Se o pai ou a mãe disserem à criança para não escrever, isso os ouvirá, o que, obviamente, não se aplica aos adolescentes”.

Milner disse que sabia que muitas crianças estavam relatando uma idade falsa durante o processo de inscrição, com os pais frequentemente ajudando-as a obter uma conta. “Neste contexto, é difícil encontrar uma solução. Se pedirmos aos membros que comprovem sua idade, seremos acusados ​​de violar sua privacidade. “

O próprio pai disse que não deixaria seus filhos usarem o Facebook. “É claro que isso não significa que eu condene ou aprove os pais que ajudam seus filhos a se matricular”, acrescentou.

No entanto, ele acrescentou que os casos em que as crianças dizem ter mais de 18 anos são mais preocupantes. Isso ocorre porque seus perfis aparecem no mecanismo de pesquisa, enquanto outros usuários podem ver quem são seus “amigos”.

Ao mesmo tempo, ele ressaltou que a rede monitora de perto o material que está circulando, excluindo conteúdo inapropriado, enquanto toma todas as medidas necessárias para reduzir o cyberbullying.

Fonte: portal.kathimerini.gr