Facebook: crianças de 12 anos foram enganadas por fazerem dela uma modelo

037C5A6D8E2849A0E5DAF903B9600C96

Eles sĂŁo acusados ​​de pornografia infantil – O caso foi investigado pela PolĂ­cia HelĂȘnica – Veja o perfil dos autores

A Diretoria de Promotoria do Crime CibernĂ©tico lançou um caso de pornografia online contra uma menina de 12 anos de idade. Em particular, a Diretoria de Processo Criminal da PolĂ­cia HelĂȘnica, no contexto de uma investigação preliminar, investigou um caso de pornografia infantil, via Internet, contra um cidadĂŁo menor de 12 anos.

Nesse caso, foi instaurado um processo contra os menores infratores e crimes pornogrĂĄficos contra os autores, que foram considerados estrangeiros e, em particular, no PaquistĂŁo e nas Filipinas. AlĂ©m disso, foram instaurados processos penais por esses atos, que sĂŁo processados ​​na medida de um crime, e o caso foi encaminhado para interrogatĂłrio.

Eles lhe ofereceram um emprego como modeloVale ressaltar que a investigação do caso começou apĂłs uma denĂșncia relevante de que indivĂ­duos-usuĂĄrios da Internet desconhecidos, usando a plataforma de rede social “Facebook”, abordaram o menor, sob o pretexto de que lhe ofereceriam um emprego como modelo, em nome de uma banda famosa.

Inicialmente, eles extraĂ­ram informaçÔes e dados pessoais dela e pediram a ela que, para seu suposto recrutamento, ela deveria ligar atravĂ©s do aplicativo “Skype”, um perfil desconhecido para ela, fazendo uma videochamada. Durante as videochamadas, ela foi convidada a posar para ser “testada” pelo trabalho oferecido.

Os autores agiram de maneira enganosa, informaram que ela havia sido contratada para o cargo e pediram que ela fosse além e posasse em posiçÔes obscenas. Nas reaçÔes do menor, os autores, usando pretextos e ameaças contra ela e sua família, declararam que ela sofreria penalidades criminais se não cumprisse o que pediram e mostrasse outro perfil supostamente vindo de um agente de segurança estrangeiro, por para destacar suas ameaças.

Uma anĂĄlise digital completa foi realizada por pessoal especializado da Diretoria de Processamento do Crime CibernĂ©tico para investigar e investigar o caso. A investigação policial e tĂ©cnica metĂłdica e completa em andamento, no contexto de uma ordem relevante do MinistĂ©rio PĂșblico de Atenas para um exame preliminar, identificou os vestĂ­gios eletrĂŽnicos dos autores no exterior, especificamente no PaquistĂŁo e nas Filipinas.

A investigação policial realizada pela Diretoria de Processamento do Crime Cibernético continua no contexto da cooperação policial internacional.

Além disso, por ordem do promotor de Atenas de primeira instùncia, que foi ratificado pelo promotor de Atenas, são publicados os dados digitais de identificação dos autores, ou seja, os nomes dos perfis em disputa no Facebook e Skype, os nomes de URL e Skype, respectivamente, bem como impressÔes instantùneas do perfil do Facebook, incluindo fotos postadas nele, da seguinte forma:

· O perfil na plataforma do Facebook “GEMMA STYLES” com URL: “http://www.facebook.com/GemStyles?fref=ts”

profile-pakistan pofil-prornofrafia· O perfil na plataforma Skype “ONE DIRECTION” com Nome Skype: “onedirectionuklive” · O perfil na plataforma Skype “Jorn” com Nome Skype: “mrsorjorn”.

Nesse contexto, solicita-se aos cidadĂŁos que entrem em contato com os seguintes detalhes de contato da Diretoria de Processos CibernĂ©ticos, a fim de fornecer qualquer informação relevante. Observe-se que o anonimato e a confidencialidade da comunicação sĂŁo garantidos: – Centro de OperaçÔes de Coordenação “Cyberalert” da Diretoria de Promotoria do Crime CibernĂ©tico, por meio do aplicativo Cyberkid, – Por telefone, no nĂșmero: 210-64764berd endereço: .gov.gr.

O que observa o EL.AS? sobre a metodologia dos pedĂłfilos

A Diretoria de Processos CibernĂ©ticos da PolĂ­cia HelĂȘnica, por ocasiĂŁo do caso e, alĂ©m disso, com base na investigação de informaçÔes vĂĄlidas, para evitar atos ilegais na Internet contra menores, informa aos usuĂĄrios que autores desconhecidos via Internet estĂŁo se aproximando de menores e menores. em poses obscenas e shows pornogrĂĄficos atravĂ©s de videochamadas.

Quanto Ă  sua metodologia de ação, eles recebem inicialmente informaçÔes pessoais, como nome, local de residĂȘncia, nĂșmero de telefone etc. e, em seguida, peça que eles chamem um perfil por videochamada usando programas populares de bate-papo online, como o Skype.

Durante as videochamadas, os autores pedem aos menores que façam açÔes aparentemente inocentes (poses, etc.), a fim de testĂĄ-los quanto ao “trabalho” oferecido e, em seguida, pedem que eles posem em poses obscenas. . É provĂĄvel que as vĂ­deo chamadas sejam feitas ao vivo pelos autores para terceiros, a fim de obter grandes benefĂ­cios.

Quando um menor se recusa a cumprir suas instruçÔes, os agressores fazem ameaças usando todo tipo de pretexto, como, por exemplo, uma vez contratados, que não podem recuar porque enfrentam penalidades criminais e que sua família serå prejudicada. etc.

Os pais e os menores de idade da Internet são convidados a prestar atenção especial, em nenhum caso a ceder a ofertas de emprego desse tipo e relatar imediatamente os incidentes às autoridades locais competentes ou à Diretoria de acusação de crimes cibernéticos nos detalhes de contato acima. .

O que os pais devem fazer?Indicativamente, a Diretoria de Processamento de Crimes CibernĂ©ticos da PolĂ­cia Grega aconselha os pais: O uso da Internet por filhos menores deve ser feito sob a supervisĂŁo dos pais em uma ĂĄrea comum e dos usuĂĄrios menores de Internet: – Nunca envie seus dados pessoais. – Nunca aceite participar de uma vĂ­deo chamada com estranhos – NĂŁo acredite em ofertas de emprego do formulĂĄrio acima – NĂŁo envie ou publique suas fotos ou vĂ­deos pessoais – – Caso algum estranho se aproxime deles dessa maneira entre em contato com a promotoria de crimes cibernĂ©ticos ou com as autoridades locais imediatamente.

Fonte: protothema.gr