Facebook: aqui está Libra, a criptomoeda compatível com smartphone

O Facebook revelou os detalhes de Libra. Esse é o nome escolhido para a nova criptomoeda para a qual está colaborando com grandes multinacionais para fornecer serviços financeiros a uma grande base de usuários. A empresa dos EUA anunciou que sua equipe de blockchain trabalhou Рe está trabalhando Рem uma nova criptomoeda no ano passado que visa fornecer pagamentos on-line rápidos e seguros via smartphones em todo o mundo.

A moeda estar√° dispon√≠vel no primeiro semestre de 2020 e na verdade, ser√° gerenciado por uma associa√ß√£o su√≠√ßa sem fins lucrativos, a Libra Association, que envolve outros investidores, incluindo MasterCard, PayPal, eBay, Spotify, Uber, Vodafone Group e, claro, tamb√©m o Facebook. O investimento m√≠nimo de participa√ß√£o √© de US $ 10 milh√Ķes. O poder de decis√£o recai sobre toda a associa√ß√£o e n√£o apenas sobre o Facebook – o promotor do projeto – cujo papel ser√° igual ao de todos os outros membros.

A associação pretende ter 100 membros no lançamento e espera que o Libra Blockchain não seja autorizado dentro de cinco anos, ou seja, torne-o descentralizado com base no modelo de bitcoin. O Libra Blockchain é aberto a todos e também integra software de código aberto o que permite que terceiros criem produtos (como aplicativos) usando a linguagem de codificação Move.

Libra ser√° uma moeda digital suportada por uma reserva de ativos (Libra Reserve), incluindo dep√≥sitos banc√°rios e t√≠tulos do governo de curto prazo. Sara “uma moeda est√°vel constru√≠da em uma blockchain de c√≥digo aberto segura e est√°vel, suportada por uma reserva de ativos reais e governada por uma associa√ß√£o independente“, L√™ o Livro Branco. “Nossa esperan√ßa √© criar mais acesso a servi√ßos financeiros melhores, mais baratos e abertos, independentemente de quem voc√™ √©, onde mora, o que faz ou o quanto tem.‚ÄĚSer apoiado por uma reserva de ativos reais deve garantir escalabilidade, seguran√ßa e efici√™ncia.

O Facebook também criou uma subsidiária chamada Calibra que oferecerá uma carteira digital para enviar, receber e armazenar o Libre. Ele estará disponível como um aplicativo independente em smartphones e será integrado ao Messenger e WhatsApp. O objetivo é disponibilizar o Calibra também para compras no aplicativo, como no Instagram.

Os executivos esperam que os usu√°rios comprem Libra por meio de sua conta banc√°ria ou – para aqueles sem ela – em locais f√≠sicos, como empresas de transfer√™ncia de dinheiro ou supermercados. O Calibra verificar√° a identidade dos usu√°rios que desejam usar criptomoeda para evitar crimes financeiros. Qualquer pessoa que se inscreva, de fato, deve compartilhar seu pr√≥prio documento de identidade e outras informa√ß√Ķes pessoais.

Ap√≥s o esc√Ęndalo da Cambridge Analytica, a quest√£o da seguran√ßa e privacidade dos dados se torna crucial. Neste sentido, O Facebook comprometeu-se a n√£o usar dados Calibra para atividades de segmenta√ß√£o. Os dados pessoais nunca ser√£o compartilhados, a menos que solicitado especificamente pelo usu√°rio ou em casos espec√≠ficos, como uma solicita√ß√£o das ag√™ncias policiais.

O objetivo √©, portanto, dar acesso “a todos os tipos de servi√ßos √ļteis a um custo m√≠nimo ou zero “ comparado aos m√©todos tradicionais. “Desde o in√≠cio, o Calibra permitir√° enviar Libra para quase todos os usu√°rios com um smartphone, de forma simples e imediata, como se voc√™ estivesse enviando uma mensagem de texto e a baixo custo. E, com o tempo, esperamos oferecer servi√ßos adicionais para pessoas e empresas, como pagar contas com o apertar de um bot√£o, comprar uma x√≠cara de caf√© digitalizando um c√≥digo ou pegar o transporte p√ļblico sem precisar trazer dinheiro.

Como j√° mencionado, a chegada ao mercado est√° prevista para 2020 e Libra pretende usar o blockchain para oferecer servi√ßos financeiros a esse “1,7 bilh√£o de adultos que est√£o fora do sistema financeiro sem acesso a um banco tradicional, embora um bilh√£o deles possua um smartphone