Facebook 48 horas para parar de rastrear usu√°rios

A justi√ßa belga ordenou hoje que o Facebook pare, em 48 horas, de “monitorar” os usu√°rios da Internet sem o seu consentimento, amea√ßando que de outra forma eles aplicariam uma multa de 250.000 euros por dia √† empresa.

espi√£o facebook

A decis√£o, tomada pelo tribunal holand√™s de primeira inst√Ęncia em Bruxelas, diz respeito a usu√°rios que n√£o s√£o membros do site de rede social americano e que, diferentemente daqueles que possuem uma conta no Facebook, n√£o deram seu consentimento √† empresa para coletar seus dados.

O Comitê Belga de Proteção à Vida Privada (CPVP) apelou ao judiciário.

O juiz “ordenou que o site de redes sociais Facebook parasse de monitorar e registrasse o uso da Internet pelas pessoas conectadas a partir da B√©lgica, dentro de 48 horas ap√≥s o an√ļncio desta decis√£o” √†s partes interessadas, informou o comunicado. Tribunal. “Se o Facebook ignorar esse pedido, ele ter√° que pagar 250.000 euros a cada 24 horas em favor da CPVP”, acrescentou o comunicado.

A decis√£o do juiz diz respeito ao registro pelo Facebook dos chamados “cookies”, os pequenos arquivos que os sites usam para “reconhecer” seus usu√°rios, mantendo seus dados. O Facebook mant√©m cookies gravados por um usu√°rio quando eles visitam uma p√°gina – por exemplo, um “mural” de um amigo – e suas outras “atividades” se eles visitaram uma loja on-line, uma p√°gina de partido pol√≠tico ou qualquer outra o tribunal explicou.

“Assim, eles mant√™m cookies para os poss√≠veis interesses e prefer√™ncias dos usu√°rios da Internet. Esses cookies s√£o mantidos por dois anos e o Facebook pode ser consultado toda vez que um usu√°rio visita uma p√°gina do Facebook ou um site do qual ele pode gostar ou recomendar (o conte√ļdo do site) para outros usu√°rios do Facebook ‚ÄĚ. a decis√£o continua.

O juiz decidiu que esses eram dados pessoais que o Facebook só poderia usar se o usuário desse seu consentimento, conforme exigido pela lei de privacidade da Bélgica.

“Se o usu√°rio mantiver uma conta no Facebook, podemos aceitar que ele tenha dado o seu consentimento, mas se ele n√£o tiver uma conta no Facebook, o Facebook claramente precisar√° pedir permiss√£o no futuro e fornecer as explica√ß√Ķes necess√°rias”. , concluiu o juiz.

Fonte: O Mouse