Europol lança nova unidade especial de combate ao cibercrime

crime cibernético

Uma nova organização para a defesa da União Europeia contra o cibercrime iniciou sua ação na segunda-feira, sob o nome de Força-Tarefa Conjunta de Ação contra o Cibercrime (J-CAT).

A nova unidade é composta por especialistas em segurança dos estados membros da União Europeia participantes, o EC3 (Centro Europeu para Crimes de Crimes Cibernéticos) e colaboram, fora da União Europeia, princípios de aplicação da lei.

O J-CAT é hospedado pelo EC3, que é o ponto focal da Europol no combate ao cibercrime, e tem a tarefa de coordenar investigações internacionais sobre o cibercrime. O objetivo é eliminar as ameaças cibernéticas, como fóruns clandestinos e malware de todos os tipos.

Especialistas dos seguintes países já estão participando do J-CAT: Áustria, Canadá, Alemanha, França, Itália, Holanda, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. Um compromisso de participar dessa iniciativa também foi expresso pela Austrália e Colômbia.

“O Grupo de Ação Conjunta de Ação contra o Cibercrime operará em escritórios seguros na sede da Europol e será coordenado por especialistas e analistas do Centro Europeu para Crimes de Cibercrime. O objetivo não é puramente estratégico, mas mais funcional “, disse Troels Oerting, chefe do EC3.

“O objetivo é impedir o cibercrime, prender fraudadores e aproveitar seus lucros ilegais. Este é apenas o primeiro passo de uma longa jornada para uma Internet aberta, transparente, gratuita e segura. O objetivo não pode ser alcançado apenas pela aplicação da lei, mas exige um esforço conjunto de muitos envolvidos na comunidade global “.