Eles lançam um conhecido blogueiro egípcio

As autoridades egĂ­pcias libertarĂŁo um conhecido blogueiro acusado de incitar a violĂȘncia contra as forças armadas, disse uma fonte judicial, acrescentando que os promotores continuam investigando o caso.

Promotores militares ordenaram sua detenção Alaa Abd El Fatah em outubro, depois <
>

confrontos sangrentos entre o exército e manifestantes no centro do Cairo.Sua prisão irritou os ativistas. Who eles consideraram isso parte da repressão geral. A pressão para a libertação se intensificou no Conselho Supremo das Forças Armadas (ASED), que governa o país após a derrubada do presidente. Hosni Mubarak em fevereiro e promete entregar o poder a um presidente eleito até julho.

O blogueiro se recusou a responder a perguntas de investigadores militares sobre “incitação Ă  violĂȘncia e sabotagem” relacionados aos distĂșrbios de 9 de outubro, quando mais de 25 pessoas foram encontradas mortas. Ele disse que os militares nĂŁo tinham o direito de interrogĂĄ-lo, acrescentando que ele sĂł falaria com investigadores civis, o que levou Ă  sua prisĂŁo.

O caso foi transferido para o MinistĂ©rio PĂșblico sob pressĂŁo de organizaçÔes de direitos humanos. Abdel Fattah foi impedido de deixar o paĂ­s enquanto durasse a investigação contra ele. de acordo com a fonte judicial.

“O mais importante Ă© que Alaa resistiu Ă  vontade da junta militar, recusou-se a ser interrogado por investigadores militares e isso nĂŁo aconteceu”, afirmou o ativista. Amr Ezat em uma postagem em Twitter apĂłs o lançamento de Abdel Fattah.

Espera-se que Abdel Fattah seja libertado enquanto as investigaçÔes continuarem, disse a fonte, sem dar detalhes.

Outras 27 pessoas acusadas de incitar violĂȘncia foram libertadas no inĂ­cio deste mĂȘs.

Ativistas culparam o ASED pela transição política no Egito e pela morte de dezenas de manifestantes exigindo o fim do governo do exército.

Um oficial militar disse na semana passada que os envolvidos na violĂȘncia e violaçÔes dos direitos humanos seriam levados Ă  justiça.

Fonte: http://www.nooz.gr