Detenção de 2 pessoas de 32 e 28 anos por pornografia infantil

A Diretoria de Processamento de Crimes Cibernéticos entrou com uma ação contra dois locais por pornografia de menores via internet, agressão sexual e violência ilegal.

crime inet

Nas conversas online com um menor de idade Facebook , ameaçou publicar material fotográfico obsceno previamente enviado a eles após pressão psicológica e coerção

A Diretoria de Processamento de Crimes Cibernéticos da Polícia Helênica entrou com uma ação regular contra dois locais, com idades entre 32 e 28 anos, por pornografia infantil via Internet, agressão sexual e violência ilegal.

O caso foi lançado como parte de uma investigação sobre alegações de ações dos internautas, que, em conversas nas redes sociais com menores de idade, usaram violência psicológica para extrair fotos deles com conteúdo obsceno e depois forçaram-nos a encontros sexuais.

A investigação policial online nas mídias sociais (“Skype” e “Facebook”) identificou e verificou as ações das duas (2) pessoas envolvidas.

A mesma metodologia e curso de ação foram seguidos pelos dois envolvidos no caso de um menor, com quem conversaram, através de perfis específicos, usando frases com conteúdo obsceno e forçando-a a realizar ações ofensivas à sua dignidade sexual.

De fato, para não interromper a comunicação com eles, eles ameaçaram postar fotos dela na internet, o que antes a obrigara a enviá-las.

As autoridades competentes do Ministério Público foram informadas sobre o assunto, que emitiu um painel para o levantamento do sigilo das comunicações e, em cooperação com os provedores de serviços de Internet, os dados dos dois (2) cidadãos emergiram.

Durante as buscas em suas casas, na presença de funcionários do tribunal, em Thessaloniki e Corinto, um disco rígido interno, um laptop e dois (2) telefones celulares foram encontrados e confiscados.

A investigação no local revelou que os dois nacionais são os administradores dos controversos perfis no “Skype” e “Facebook”, enquanto arquivos eletrônicos também foram encontrados nas conversas com os menores. Ao mesmo tempo, foi estabelecida a comunicação com outros menores, casos que estão sendo investigados.

A evidência apreendida será enviada aos laboratórios forenses para um exame mais aprofundado.

O processo contra eles foi submetido às autoridades competentes do Ministério Público

Fonte: secnews.gr