Detenção de 2 gregos por tráfico de dados pessoais digitais

Foi investigado pela Diretoria de Processos Cibernéticos, um caso de coleta, posse, processamento e descarte ilegais para a venda de um grande número de registros com dados pessoais, em listas de arquivos digitais. privacidade 1

Um homem de 53 anos e um cidadão de 52 anos foram presos no procedimento espontâneo

Como parte de uma operação policial de larga escala, eles encontraram em sua casa, armazenados em mídia digital, listas de 406.000 registros de dados pessoais, como nomes, números de telefones celulares, endereços postais e e-mails.

A pesquisa continua para determinar com preciṣo o n̼mero de dados pessoais, bem como sua origem e gerenciamento adicional Рdistribui̤̣o

Foi investigado pela Diretoria do Ministério Público do Crime Criminal, após uma pesquisa policial online que durou mais de quatro meses, em um caso de coleta, posse, processamento e descarte ilegais para vender um grande número de registros com dados pessoais, em arquivos digitais – listas.

Nesse caso, foi instaurado um processo contra dois locais, com idades entre 52 e 53 anos, por violar a lei “sobre dados pessoais”, atos cometidos continuamente e em conluio. Ao mesmo tempo, são acusados ​​de cometer crime de sonegação de impostos e lavagem de dinheiro (lavagem de dinheiro).

Em particular, a investigação do caso começou depois que uma queixa foi encaminhada à Diretoria de Processamento de Crimes Cibernéticos, segundo a qual, autores desconhecidos, a fim de divulgar sua existência e atividade, enviaram um e-mail em massa aos usuários da Internet, com os quais proprietários de empresas que compram arquivos eletrônicos pagos que possuem e inclui uma lista de 150.000 caixas de correio.

O Ministério Público de Atenas foi informado sobre o acima exposto, que ordenou uma análise preliminar, ao mesmo tempo em que emitiu disposições e parlamentos relevantes para o levantamento do sigilo das comunicações e do sigilo bancário.

A partir da pesquisa digital e sistemática na Internet, realizada por oficiais especializados da Diretoria de Processos Cibernéticos, em colaboração com a empresa competente de serviços de Internet, as organizações de telecomunicações e bancos, foram identificados os dados dos autores e dos autores. arquivos de dados pessoais.

Ao mesmo tempo, entraram em contato com os números de contato que usavam para atividades ilegais e injustas, bem como com as contas bancárias em disputa que usavam, para pagar o “preço” pela venda do arquivo eletrônico de dados pessoais.

Ontem de manhã (18-5-2015), foi realizada uma operação policial em larga escala, durante a qual policiais da Diretoria de Processamento de Crimes Cibernéticos, com a assistência de uma equipe da Autoridade de Proteção de Dados Pessoais, realizaram uma busca paralela em residências e dos envolvidos no Attica.

A partir da pesquisa digital digital realizada em mídia de armazenamento eletrônico encontrada na casa dos autores de Atenas, eles foram encontrados e confiscados em formato digital, arquivos – listas com 406.000 registros de dados pessoais, como nomes, telefones celulares, endereços postais e endereços de email. – e-mails. Ao mesmo tempo, um laptop foi confiscado.

A evidência digital confiscada será enviada à Diretoria de Investigações Criminológicas para testes de laboratório.

Os presos no processo contra eles serão levados ao Promotor de Atenas de Primeira Instância.

Recorde-se que os cidadãos podem entrar em contato, anonimamente ou com a marca, com a Diretoria de Processamento de Crimes Cibernéticos, a fim de fornecer informações ou relatar atos ou atividades ilegais ou repreensíveis realizadas pela Internet, com os seguintes detalhes de contato:

  • Telefones: 111 88

  • Através do aplicativo para smartphones com sistema operacional ios-android: CYBERKID

  • Via Twitter “SOS Cyber ​​Alert Line”: .CyberAlertGR