Darknet, a internet dos criminosos, também chegou à Grécia

Darknet

– Eles pagam milhares de euros e dólares para ver até os assassinatos de crianças pequenas

– O usuário Darknet é anônimo e se sua identidade ainda for descoberta, ela será corrompida

– Os barões da Coca-Cola têm contas especiais e fecham milhões de negócios através deles

– Dois gregos em Patras foram identificados pela promotoria de crimes cibernéticos com o material doente

Infelizmente, um dos aspectos mais sombrios da internet chegou à Grécia, na sua forma mais grave. A razão para a Darknet, uma “internet secreta” criada pelos serviços secretos dos EUA no início dos anos 90, é garantir a confidencialidade das conversas sobre navios de frota dos EUA que viajam ao redor do mundo.

Foi e continua sendo um paralelo à Internet, que “apaga” automaticamente a identidade do usuário. No entanto, muito rapidamente, esse mundo on-line “escuro” foi descoberto por criminosos em todo o mundo, deixando-o nas mãos de organizações criminosas organizadas e traficantes de materiais ilegais, até resíduos nucleares.

Agora a “internet escura” evoluiu para um mundo paralelo. O mundo da ilegalidade, como agora é o site oficial dos bandidos.

O usuário da Darknet é anônimo, pois o ID do computador, ou seja, o ID dele, não é claro. Mesmo que alguém descubra a identidade do seu computador que “vagou” no “escuro”, a identidade real do usuário é alterada, resultando em completo anonimato.

Os mafiosos dos EUA, e especialmente a máfia italiana que opera nos Estados Unidos, rapidamente “ilustraram” o “Darknet”, e os executivos pagos das organizações criminosas começaram a fechar “contratos de morte” internacionalmente através do “mundo sombrio”, mantendo absolutamente o seu anonimato.

Os “barões” da Coca-Cola agora têm contas especiais “Darknet” e fecham acordos multimilionários para vender coca, enquanto traficantes de pornografia infantil descobriram a melhor ferramenta para vender seus produtos doentes.

No “Darknet” você pode até encontrar material com assassinatos de crianças, desde que o dólar tenha algumas dezenas, centenas de euros para comprar o material e sempre com seu anonimato garantido.

As investigações em Patras que causam horror

A Promotoria do Cibercrime realizou as primeiras prisões na Grécia de usuários do DARKNET, a “Internet obscura”, ou seja, onde são estuprados estupros, abusos e até assassinatos de crianças.

Segundo dados oficiais, após uma operação conjunta do FBI, Europol e, claro, a promotoria de crimes cibernéticos, dois homens, com idades entre 33 e 35 anos, foram encontrados em Patras, que abriram uma conta no “Darknet”, ou seja, na Internet anônima. ”E traficou material pornográfico infantil, principalmente abusando de menores e até bebês.

Os dois Patriots foram vistos após uma grande operação lançada pelo FBI meses atrás, em colaboração com a Europol na Internet escura “anônima”, para investigar “contratos de morte” da máfia americana na Europa e nos Estados Unidos. Investigando esse caso, os dois serviços “caíram” em um site da “internet obscura”, no qual circulava pornografia infantil muito difícil, abusando de crianças e até de assassinatos.

Dois dos traficantes do material, que de fato mantinham uma conta nesse site “obscuro”, eram gregos, pois depois de muitas análises foi constatado que o sinal dos dois usuários “saiu” de nosso país.

Imediatamente um grupo de policiais da acusação chegou à capital da Acaia e com o “lap top” em mãos, eles conseguiram localizar o estigma dos dois autores e finalmente chegaram em suas casas, mas também em seus locais de trabalho, pois são empregados particulares.

Fonte: newsit.gr