Comunicado de imprensa da Anonymous para o novo negócio de Tarmageddon

No início de julho, o Anonymous anunciou planos para atacar empresas e bancos de petróleo que apóiam uma controversa perfuração de areia em Alberta, Canadá.

Exxon Mobil, ConocoPhillips, Canadian Oil Sands, Imperial Oil e Royal Bank of Scotland provavelmente serão atacados por Anonymous, como <…>

parte de seu novo projeto “Projeto Tarmageddon”.

O comunicado de imprensa an√īnimo:

No in√≠cio de julho, bem abaixo do radar da ind√ļstria de petr√≥leo de Tar Sands, o Anonymous e o GreenSec entraram no LulzSub e iniciaram uma jornada de justi√ßa ambiental. Essa jornada teve apenas um ponto final: sucesso. Com toda a aten√ß√£o que o Anonymous havia recebido recentemente, um submarino era a escolha certa para garantir o m√°ximo impacto e o m√≠nimo de danos √† frota. Quando o Big Brother assiste, voc√™ entra na superf√≠cie.

Durante todo o m√™s de julho, apoiamos um protesto contra a ind√ļstria do petr√≥leo de Tar Sands, que terminou com professores dan√ßando na mesa de reuni√£o do governador de Montana. N√≥s trabalhamos em rede como formigas nas internets para divulgar essa desobedi√™ncia civil e o assunto em quest√£o. O Anonymous, o maior think tank do mundo, passou semanas pesquisando as empresas envolvidas, descobrindo montanhas de endere√ßos de e-mail e informa√ß√Ķes de contato de funcion√°rios que trabalham para destruir nosso planeta com fins lucrativos.

O Anonymous ent√£o trouxe o LulzSub √† superf√≠cie para tomar ar e lanches. Imediatamente descobrimos que representantes da ind√ļstria de Tar Sands criaram perfis falsos no Twitter e no Facebook para espalhar falso entusiasmo sobre o pipeline Keystone XL proposto, criamos um fluxo de fatos e links do Orinoco, sustentando uma campanha de informa√ß√£o de uma semana. N√≥s divulgamos amplamente os protestos em Washington DC, onde agora, mais de 850 pessoas foram presas na Casa Branca para protestos pac√≠ficos. Ao espelhar as a√ß√Ķes desses “astroturistas”, esper√°vamos fornecer um verdadeiro contraponto aos obst√°culos artificiais das contas falsas.

Nossa bela jornada se transformou em uma conquista total para expor a corrup√ß√£o nas empresas que planejam extrair esse petr√≥leo e construir o oleoduto Keystone XL do Canad√° ao Golfo do M√©xico. Lan√ßaremos o lastro de centenas de e-mails corporativos que obtivemos dos servidores dos sites da ind√ļstria de petr√≥leo. Incentivamos as pessoas a escreverem cartas pessoais, contando o que voc√™ pensa. Os servidores de correio da Transcanada est√£o em queda h√° dois dias e continuaremos com essa excelente tradi√ß√£o, na esperan√ßa de mostrar ao mundo que os neg√≥cios normalmente param quando se trata da seguran√ßa do meio ambiente.

O recente lan√ßamento dos cabos Wikileaks colocou mais petr√≥leo bruto no tanque do LulzSub, enquanto continu√°vamos nossa viagem. Encontramos cabos que provam diretamente que a corpora√ß√£o Statoil, uma das principais empresas do setor de Tar Sands, demitiu trabalhadores na Venezuela por suas inclina√ß√Ķes pol√≠ticas, em conluio com a estatal PDVSA. Outro telegrama mostra que a Statoil foi paga muito mais em um pacote de remunera√ß√£o da PDVSA do que foi relatado na imprensa. Outro ministro canadense do Meio Ambiente, Prentice, cita dizendo que est√° profundamente preocupado com o efeito de Tar Sands na imagem do Canad√°. Estamos descobrindo muito em nossa viagem ao mar profundo

Somos solid√°rios com os quase 900 bravos e funcion√°rios p√ļblicos que foram presos em frente √† casa tempor√°ria de Obama, os povos ind√≠genas do Canad√°, grupos ambientais de todo o mundo e aqueles que sonham com novas fontes de energia e um ambiente mais saud√°vel.

Anonymous e GreenSec convidam voc√™ para se juntar a n√≥s no nosso IRC, no dia 3 de setembro, quando lan√ßamos nossa pr√≥pria forma de manifesta√ß√£o. Nos uniremos para fechar os sites das empresas Tar Sands e empresas de lobby de petr√≥leo. Essa √© uma forma n√£o-violenta de dissid√™ncia que, para n√≥s, acena uma bandeira para os outros, dizendo ‚ÄúAqui. Aqui est√° o problema. “

Enquanto bilion√°rios lutam contra o meio ambiente, o Anonymous se levanta com tempo e energia doados para tomar uma posi√ß√£o antes que nossa chance termine. Ningu√©m pode sacrificar o ar, a √°gua, as florestas e a sa√ļde dos cidad√£os do mundo em busca de lucro. A Terra vale mais do que a mat√©ria org√Ęnica que nela exploramos. Quando o protesto em Washington DC terminar, intensificaremos e faremos nossa parte.

Há muitas incógnitas na questão climática, muitas coisas ainda a serem entendidas. Quanto à corrupção corporativa e à destruição do ambiente natural na busca do lucro, ela está em toda parte e isso é bem compreendido. Ajude-nos a pará-lo.

S√°bado, 3 de setembro, HORAS ALTA de Alberta (GMT -5)

Junte-se a nós no canal da porta 6667 da irc.power2all.com #OperationGreenRights

Envolva-se de uma maneira ou de outra, mas envolva-se.

Siga .OpGreenRights

Cabos Wikileaks:

A vice-gerente geral da Sincor, Jane Nagy, funcionária da Statoil, em conluio com a companhia estatal de petróleo venezuelana, demitiu funcionários por tendências políticas na Venezuela:

http://pastebin.com/SwgaXKpJ

A Statoil recebe um pagamento compensat√≥rio muito maior da companhia petrol√≠fera estatal venezuelana por “sua perda de patrim√īnio na associa√ß√£o estrat√©gica da Sincor”. Precipita√ß√£o de demiss√Ķes e mentiras p√ļblicas do Ministro da Energia da Venezuela sobre o pagamento.

http://pastebin.com/9bAKwNBq e http://pastebin.com/ZSMkk8cM

O ministro do Meio Ambiente do Canad√°, Prentice, diz que ‚Äúele interviria e regularia as areias se o Canad√° / [sic] imagem no mundo fica ainda mais manchada pela cobertura negativa. ‚ÄĚ

http://pastebin.com/dqqMcu51

E-mails corporativos e da empresa: http://pastebin.com/P8vxZHrx

Dedicado ao povo aborígine da América do Norte em sua luta.