Computa√ß√£o em nuvem: “Deixe as nuvens me levarem”

cloudcomputigig Lembro-me das letras da m√ļsica antiga toda vez que h√° uma conversa sobre a “nuvem” em TI. √Č certo que em pouco tempo a nuvem far√° parte de nossa vida di√°ria, como Internet, facebook, twitter e muito mais. Muitos servi√ßos j√° s√£o fornecidos aos seus assinantes atrav√©s da nuvem.

Para ver um exemplo pr√°tico, quem usa o iTunes pode ter suas fotos e m√ļsicas armazenadas na nuvem para que estejam dispon√≠veis em qualquer dispositivo. <‚Ķ>

onde quer que estejam, desde que tenham uma conex√£o com a Internet. Este servi√ßo √© talvez o desenvolvimento mais importante em tecnologia da informa√ß√£o nos √ļltimos anos.

√Č dif√≠cil avaliar com anteced√™ncia o impacto que ter√° sobre a forma como os servi√ßos p√ļblicos, as empresas e os indiv√≠duos operam. No entanto, o dinheiro investido hoje na cria√ß√£o de servi√ßos e infraestrutura em nuvem √© verdadeiramente inconceb√≠vel e todos os grandes nomes da TI est√£o competindo nessa corrida.

Estima-se que 2,5 milh√Ķes de bytes sejam gerados diariamente e que 90% do data warehouse mundial tenha menos de dois anos. A conclus√£o imediata √© que a maioria de todos esses dados n√£o pode ser armazenada em computadores pessoais, mas em data centers bestiais.

Ao mesmo tempo, a √™nfase mudou da infraestrutura para os aplicativos. Simplificando, a id√©ia √© ter ci√™ncia da computa√ß√£o como √°gua da torneira. Abrimos a torneira e obtemos a quantidade de √°gua que queremos, sem nos importar onde √© armazenada ou como √© produzida. O mesmo vale para eletricidade. Pagamos o quanto consumimos sem nos preocuparmos com a sua produ√ß√£o. √Č assim que a nuvem est√° na TI.

Estou querendo escrever sobre o Cloud h√° muito tempo. A ocasi√£o me foi dada por uma pergunta recente no Parlamento sobre a Sa√ļde. Questionado pelo deputado M. Senetakis sobre os problemas e defeitos do sistema, o ministro Ant. Manitakis respondeu que “est√£o sendo feitas atualiza√ß√Ķes constantemente, mas j√° foi iniciado um processo de licita√ß√£o para a atualiza√ß√£o geral do aplicativo em infraestrutura e funcionalidade”!

Antes de comentarmos a decis√£o do ministro, vale lembrar o que √© Di @ ygeia. √Č, de fato, uma ferramenta √ļtil para a transpar√™ncia nas decis√Ķes da administra√ß√£o p√ļblica. √Č a√≠ que todas as decis√Ķes devem ser postadas e elas recebem um c√≥digo √ļnico, necess√°rio para efetuar o desembolso relevante dos valores. Outros pa√≠ses t√™m sistemas semelhantes, mas estabeleceram um limite para montantes. Na Inglaterra, por exemplo, acho que as decis√Ķes acima s√£o publicadas 20.000.

Infelizmente, na Gr√©cia, onde somos caracterizados pelo exagero, todas as decis√Ķes s√£o publicadas, mesmo que se refiram a alguns euros. Portanto, o sistema est√° constantemente cheio de decis√Ķes (mesmo em quantidades muito pequenas) e est√° se tornando cada vez mais complicado, mas tamb√©m mais dif√≠cil de encontrar. Este foi o primeiro erro no design. No entanto, o maior erro refere-se √† implementa√ß√£o do projeto. Ao projetar um sistema, tente pelo menos ter a melhor abordagem poss√≠vel para os tamanhos que afetar√£o sua opera√ß√£o e desempenho. Em um novo sistema, onde n√£o h√° experi√™ncia anterior, tudo isso √© desconhecido e, portanto, n√£o √© nada f√°cil estimar a infraestrutura necess√°ria. √Č por isso que outras abordagens devem ser buscadas.

Higiene √© o aplicativo de destaque para a nuvem. Todas as informa√ß√Ķes armazenadas n√£o s√£o confidenciais e pertencem a todos (dom√≠nio p√ļblico), portanto n√£o h√° d√ļvida de vazamento. Com o que nos importamos se os discos r√≠gidos que armazenam os dados est√£o no minist√©rio ou em um data center no Arizona ou na Esc√≥cia? O espa√ßo necess√°rio para armazenar informa√ß√Ķes est√° em constante crescimento e, √© claro, √© mais vantajoso pagar dependendo da capacidade que usa do que investir antecipadamente para lidar com o volume crescente, o que nem √© poss√≠vel prever.

Al√©m disso, o acesso √†s informa√ß√Ķes armazenadas na nuvem √© feito na velocidade do usu√°rio e n√£o depende da infraestrutura do minist√©rio, que obviamente n√£o pode ser ilimitada. A vantagem mais importante √© a integridade e disponibilidade das informa√ß√Ķes. A Cloud cuida de tudo isso sem a nossa interven√ß√£o. Ou seja, zero emprego humano para criar e gerenciar backups.

Essas s√£o as raz√Ķes pelas quais a nuvem entrou no mundo dos neg√≥cios e nos servi√ßos p√ļblicos de outros pa√≠ses para sempre. Ele converte custos fixos em custos vari√°veis ‚Äč‚Äče reduz significativamente o pessoal especializado empregado nessas quest√Ķes.

No caso de J√ļpiter, essa possibilidade nem sequer foi considerada. De acordo com a resposta do ministro, estamos procedendo a uma licita√ß√£o para a “atualiza√ß√£o da infraestrutura e da funcionalidade”, o que √© certo que em pouco tempo eles desejar√£o atualizar novamente e assim por diante. Nem dois anos se passaram desde a opera√ß√£o do Minist√©rio da Sa√ļde e queremos atualizar a infraestrutura. Em outras palavras, vemos a mesma receita falhada que tivemos no passado, independentemente dos recursos da tecnologia atual. Queremos fornecer equipamentos, software e, claro, a equipe necess√°ria para gerenci√°-los.

O mesmo se aplica √†s centenas (ou talvez milhares) de sites (sites) do Estado em geral. As informa√ß√Ķes que eles fornecem est√£o dispon√≠veis ao p√ļblico e, portanto, n√£o h√° quest√£o de confidencialidade. Se todos esses servidores configurados para implementar esses sites forem removidos e substitu√≠dos por servi√ßos de nuvem semelhantes, o Estado ter√° uma economia enorme em energia, equipe e equipamentos, mas, o mais importante, fornecer√° melhores servi√ßos. √© se realmente queremos ter uma TI mais eficiente no Estado. Em particular, quando novas maneiras de operar limitam a equipe, n√£o √© poss√≠vel deixar essa decis√£o para os pr√≥prios funcion√°rios de TI, que normalmente nunca prop√Ķem nada que reduza a depend√™ncia p√ļblica de seus pr√≥prios servi√ßos. √Č por isso que essas decis√Ķes estrat√©gicas devem ser tomadas muito altas e aplicadas. Quando os servi√ßos s√£o fornecidos pela nuvem, n√£o √© f√°cil para nenhuma equipe fazer o download do switch quando o experimentar.

Fonte: portal.kathimerini.gr