Como o FBI suprimiu o movimento Occupy

An√īnimo rouba dados de usu√°rio de 40 GB do ISP australiano AAPT

Em √ļltima an√°lise, a realidade se mostrou superior a qualquer imagina√ß√£o. Evid√™ncias que acabam de aparecer mostram que a violenta repress√£o ao movimento Occupy Wall Street no outono de 2011 – t√£o sombria na √©poca – n√£o foi simplesmente coordenada pelo FBI, pelo DHI (Departamento de Seguran√ßa Interna) e pela pol√≠cia local. A opera√ß√£o de repress√£o (que incluiu, como voc√™ deve se lembrar, deten√ß√Ķes violentas, dissolu√ß√£o de grupos, rompimento de g√°s lacrimog√™neo na cabe√ßa dos manifestantes, algemando-os com tanta for√ßa) <‚Ķ>

resultando em ferimentos, a sufocante exclusão por horas, sem conseguir atender às suas necessidades físicas) foi coordenada pelo FBI e pelo DHI, em colaboração com os principais bancos.

O Fundo de Parceria para Justi√ßa Civil (PCJF) alcan√ßou sucesso jornal√≠stico de primeira classe, garantindo essas premissas. E, √© claro, a grande m√≠dia deve ter vergonha, pois ficou provado mais uma vez que as organiza√ß√Ķes sem fins lucrativos s√£o as √ļnicas fontes de informa√ß√£o que destacam quest√Ķes de viola√ß√£o da liberdade e dos direitos pol√≠ticos nos Estados Unidos. O documento (ver goo.gl/eC95C) revela a exist√™ncia de uma rede temida envolvendo o DHS, o FBI, a pol√≠cia, os centros de contraterrorismo para processar crimes econ√īmicos e pol√≠ticos, empresas e servi√ßos do setor privado – e todos os √≥rg√£os acima desenvolveram contato e coopera√ß√£o t√£o pr√≥ximos que, eventualmente, foi criada uma nova entidade monstruosa, que, em alguns casos, tamb√©m foi denominada: Conselho da Alian√ßa de Seguran√ßa Interna. O documento revela que o trabalho dessa nova entidade foi planejado em n√≠vel central e implementado localmente. Em resumo, as evid√™ncias mostram como a pol√≠cia e o DHS trabalharam, em nome dos bancos e em coopera√ß√£o com eles, para localizar, prender e neutralizar politicamente os cidad√£os americanos que estavam se mobilizando e protestando pacificamente.

As evid√™ncias, que vieram √† tona na semana entre o Natal e o Ano Novo, revelam uma concep√ß√£o e enredo orwelliano que se desenrola em todo o pa√≠s, em uma cidade ap√≥s a outra: Em seis universidades dos EUA, a pol√≠cia da universidade forneceu informa√ß√Ķes ao FBI sobre estudantes que participaram do Occupy, conhecendo as autoridades da universidade; os bancos estavam trabalhando com funcion√°rios do FBI para trocar informa√ß√Ķes sobre manifestantes presos por funcion√°rios do banco por agentes de seguran√ßa privados. ¬∑ O FBI estava planejando dissolver as manifesta√ß√Ķes de ocupa√ß√£o e outros eventos no in√≠cio de cada m√™s e notificar os representantes dos bancos e outras organiza√ß√Ķes visadas pelos manifestantes; havia at√© amea√ßas de assassinar os l√≠deres dos Muros de Ocupa√ß√£o. Rua atirada por atiradores – por quem? onde-, que permaneceu desconhecido, contrariamente √† t√°tica consistente do FBI de informar as pessoas em risco em casos de amea√ßas contra um l√≠der pol√≠tico.

De acordo com a diretora da PCJF Mara Verheyden-Hilliard, os documentos mostram que, desde o in√≠cio, o FBI – apesar de reconhecer que o OWS era, de fato, um movimento n√£o violento – repetidamente o chamou de “amea√ßa terrorista”. Ele observou a estreita coopera√ß√£o entre os bancos, a Bolsa de Nova York e pelo menos uma ag√™ncia local do Federal Reserve dos EUA com o FBI e o DHS. “Esses documentos, que consideramos apenas a ponta do iceberg, abrem uma lacuna na qual podemos ver como o FBI organizou, em n√≠vel nacional, uma opera√ß√£o de vigil√Ęncia, vigil√Ęncia e envelope para manifestantes pac√≠ficos que participaram do movimento Occupy. . Esses documentos tamb√©m mostram que os servi√ßos do FBI funcionam, de fato, como o bra√ßo longo dos neg√≥cios de Wall Street e dos EUA “..

Os documentos revelam uma variedade impressionante: em Denver, Colorado, o escrit√≥rio local do FBI e um “Grupo de trabalho para combater a fraude banc√°ria” reunidos para monitorar o movimento. A ag√™ncia local do Banco Central em Richmond, Virg√≠nia, com seu servi√ßo de seguran√ßa privado, estava monitorando o Occupy Tampa e a Associa√ß√£o de Veteranos de Tampa pela Paz, canalizando as informa√ß√Ķes coletadas para o escrit√≥rio local do RBI em Richmond, que Ele classificou as atividades de Occupy como “terrorismo interno”. O Grupo Anti-Terrorista em Anchorage, no Alasca, estava assistindo Ocupar Anchorage. Em Jackson, no Mississippi, o Servi√ßo Antiterrorista emitiu um sinal de emerg√™ncia de “alerta antiterrorista” para as atividades estudantis do Occupy. Novamente em Jackson, o FBI e a equipe de seguran√ßa banc√°ria – criados por v√°rios bancos privados – se reuniram para discutir como lidar com “Dia de protesto contra a impunidade banc√°ria ‚ÄĚ – e, se voc√™ se lembra, o tratamento foi violento. O FBI da Virg√≠nia, por sua vez, enviou essas informa√ß√Ķes estatais aos membros do movimento Occupy no Centro Antiterrorismo. O Memphis FBI estava monitorando o OWS como parte de sua equipe de contraterrorismo. E escusado ser√° dizer, por 100 p√°ginas. [‚Ķ]

Portanto, temos um novo desenvolvimento: a estreita coopera√ß√£o do setor comercial, do DHS e do FBI significa que qualquer um de n√≥s pode ter a sorte do WikiLeaks. [‚Ķ] O fato de o monitoramento das atividades econ√īmicas e a repress√£o daqueles que t√™m vis√Ķes diferentes estarem vinculados e realizados por centros comuns abre uma enorme ferida para seus direitos e sociedade civil, bem como dados sobre a renda dos cidad√£os e outros dados econ√īmicos. Os bancos est√£o agora a servi√ßo de monitorar os diferentes pontos de vista.

Lembremos que 90% das doa√ß√Ķes do WikiLeaks est√£o bloqueadas – devido ao modo como o Pay Pal funciona e √† interven√ß√£o do DHS. √Č bastante complicado criminalizar e processar a disputa. Qu√£o simples, por outro lado, √© colocar o sinal de “organiza√ß√£o terrorista” e sufocar um movimento, privando-o de todo o financiamento!

Ent√£o, por que toda essa tremenda press√£o para estabelecer centros de contraterrorismo com a coopera√ß√£o de indiv√≠duos e do estado, a militariza√ß√£o dos departamentos de pol√≠cia promovidos pelo DHS e assim por diante? A raz√£o n√£o √©, e nunca foi, o tratamento de “terroristas”. Nem mesmo lidando com dist√ļrbios pol√≠ticos. A raz√£o √© que, no momento, existem enormes crimes que podem ser descobertos pelos cidad√£os – e isso diz respeito a todos n√≥s.

* Naomi Wolf √© a autora de The Beauty Myth e Give Me Liberty: A Handbook for American Revolutionarie. O artigo foi publicado no “Guardian”, em 29.12.2012

Secnews.gr