C√≥digo “Traga seus celulares para a escola!”

mobilew600 As escolas dos EUA mudaram para Bring Your Own Technology desde a proibição do uso de telefones celulares

At√© recentemente, as entradas para muitas escolas nos Estados Unidos eram dominadas pela legenda: “O uso de telefones celulares √© proibido”. Ultimamente, essa inscri√ß√£o foi substitu√≠da pelo arqu√©tipo BYOT (Traga sua pr√≥pria tecnologia) – “Come With Your Gadgets”, em renderiza√ß√£o livre. Isto n√£o √© uma concess√£o, mas uma ordem. Os alunos s√£o convidados, <‚Ķ>

junto com seus livros e cadernos, têm em suas malas tudo o que têm: smartphones, tablets, minicomputadores e até máquinas de jogos que podem ser conectadas à Internet.

Qual é a causa dessa curva de 180 graus? A principal razão é financeira. Muitas escolas não têm os fundos necessários para atender às novas diretrizes de ensino, que estipulam que todo aluno deve estar conectado à Internet, para poder realizar pesquisas, para se comunicar on-line com seus professores e colegas de classe.

Esse v√≠nculo entre educa√ß√£o e novas tecnologias n√£o √© irracional. Tanto nos Estados Unidos quanto na Europa, h√° intenso conflito entre entusiastas e cr√≠ticos de “casamento”.

Os primeiros argumentam que n√£o faz sentido insistir em m√©todos de ensino ultrapassados ‚Äč‚Äče completamente estrangeiros, da maneira que os jovens aprenderam a se comunicar.

Os √ļltimos, aos quais a maioria dos professores pertencem, de acordo com dois estudos publicados na imprensa americana, afirmam que o constante mergulho no mundo digital afeta negativamente a capacidade de memorizar e se concentrar. O pior de tudo, por√©m, √© o impacto negativo em sua capacidade de analisar criticamente em profundidade.

Muitos professores estão protestando porque chegaram a dramatizar dramaticamente a lição para atrair a atenção de seus alunos.

Por sua parte, os f√£s argumentam que, gra√ßas √†s novas tecnologias, os alunos t√™m acesso direto √†s informa√ß√Ķes que s√£o necess√°rias para avaliar e usar adequadamente nas tarefas a eles atribu√≠das.

O t√≠tulo no novo cap√≠tulo da guerra que eclodiu entre os dois campos √© “BYOT”. Tamb√©m h√° muitas obje√ß√Ķes aqui. Em entrevista ao New York Times, os professores universit√°rios de ci√™ncia da computa√ß√£o apontam que as novas tecnologias n√£o devem se tornar a principal ferramenta de ensino no ensino m√©dio.

Apesar das obje√ß√Ķes, o prato parece estar finalmente se inclinando para novas tecnologias. √Č algo que a realidade ir√° impor. No mundo ocidental, sete em cada dez crian√ßas no ensino m√©dio t√™m telefone celular, enquanto na faixa et√°ria de 16 a 18 anos, a taxa sobe para 97%. Mais da metade dos estudantes agora “surfa” de sua casa na Internet, enquanto o Facebook se tornou o principal meio de comunica√ß√£o entre eles.

Fonte: portal.kathimerini.gr