ClĂ­nica que trata viciados em TI

No Museu da Comunicação de Berna, o caso Strauss-Kahn, crise da dĂ­vida, guerra na LĂ­bia Ï€ÎżÎ»Î»Î­Ï‚ Muita informação que pode nos deixar doentes. Por esse motivo, deve haver uma cura. Essa Ă© a idĂ©ia bĂĄsica de uma exposição apresentada no Museu da Comunicação de Berna, onde funciona uma clĂ­nica para essas doenças.

Assim que o visitante entra no museu, um salão com iluminação parcial e prateleiras com 12.000 livros entra no museu, tanto que uma pessoa deve ler todos os dias.<
>

se ele participa e lida com o processamento de dados e dados publicados em todo o mundo.

“A comunicação Ă© importante, o que Ă© gratificante, mas hoje em dia existe uma infinidade de informaçÔes”, explica a diretora do museu Jacqueline Strauss.

“Podemos comparĂĄ-lo Ă  dieta, se comermos muito, se comermos a mesma coisa; ficaremos doentes, mas se nossa dieta for equilibrada, saudĂĄvel, nos agrada, nos faz sentir confortĂĄveis”, acrescenta.

Segundo especialistas da Universidade de Berna, que participaram da exposição, uma pessoa pode ler um livro de 350 påginas em um dia se, é claro, não fizer mais nada.

Mas a quantidade de informaçÔes e comunicaçÔes atualmente transmitidas ao redor do mundo via Internet, e-mails, telefones e mídia corresponde a 7,355 bilhÔes de gigaoctet, ou bilhÔes de livros.

Diante dessa tempestade de informaçÔes, “hĂĄ pessoas que ficam doentes, hĂĄ perigo, algo como ‘queimar'” “, disse Strauss.

Uma mulher recebe os visitantes desta clĂ­nica diferente e pergunta se eles se sentem ansiosos, “apertados” ou exaustos.

Se responderem afirmativamente, vĂŁo para a “sala de verificação”, onde preenchem um questionĂĄrio que determinarĂĄ seu Índice de Comunicação Pessoal (IPC), que os encaminha automaticamente para as salas de tratamento. Quando terminam, recebem o remĂ©dio, a ‘comunicocaĂ­na’, bem como conselhos sobre como superar o vĂ­cio de um distribuidor automĂĄtico. Se vocĂȘ quer algo mais, pode visitar o site www.facebook.com/svanbelkom. No entanto, como conclui o diretor do museu, nĂŁo devemos esquecer que “nĂŁo somos apenas vĂ­timas, tambĂ©m somos autores porque cada um de nĂłs produz informaçÔes”.

Fonte: portal.kathimerini.gr