China: Pesquisas mostram como os grupos sanguíneos estão ligados ao Coronaio!

Um estudo realizado por pesquisadores m√©dicos sobre mais de 2.000 pacientes infectados com Coronav√≠rus Covid-19 em Wuhan e Shenzhen, China, mostra como os grupos sangu√≠neos est√£o ligados √† Corona. Em particular, de acordo com o estudo, pessoas com sangue tipo A podem ser mais vulner√°veis ‚Äč‚Äč√† infec√ß√£o do que Corona. Em outras palavras, pacientes com tipo sangu√≠neo A apresentaram uma taxa mais alta de infec√ß√£o e tendiam a apresentar sintomas mais graves de coronav√≠rus. Por outro lado, pessoas com tipo sangu√≠neo O parecem mais resistentes e, portanto, t√™m muito menos probabilidade de desenvolver doen√ßa card√≠aca coron√°ria do que outras. Os pesquisadores chegaram a essa conclus√£o depois de coletar amostras dos grupos sangu√≠neos dos pacientes e compar√°-las com as que permaneceram saud√°veis ‚Äč‚Äčnessas √°reas.grupos sangu√≠neos + pacientes infectados com coronav√≠rus

Enquanto os pesquisadores disseram que o estudo estava em seus est√°gios iniciais, eles pediram aos governos e instala√ß√Ķes m√©dicas que analisassem as diferen√ßas entre os grupos sangu√≠neos ao projetar medidas de tratamento ou tratar pacientes infectados pelo v√≠rus, conhecido como Sars. -CoV-2.

Pesquisadores liderados por Wang Xinghuan disseram que pessoas com sangue tipo A podem precisar de prote√ß√£o pessoal altamente aprimorada para reduzir a chance de serem infectadas com coronav√≠rus. Wang acrescentou que pacientes com o grupo sangu√≠neo A infectado com o v√≠rus Sars-CoV-2 podem precisar de um monitoramento mais cuidadoso e intensivo e de um tratamento mais “forte”. Por outro lado, o grupo sangu√≠neo O tem um risco significativamente menor de infec√ß√£o por coronav√≠rus do que outros grupos sangu√≠neos. Dos 206 pacientes que morreram de Covid-19 em Wuhan, 85 tinham sangue do tipo A e 52 tinham sangue do tipo O. Wang tamb√©m observou que a tipagem do tipo sangu√≠neo ABO pode ser √ļtil em ambos os pacientes e equipe m√©dica para o tratamento de Sars-CoV-2 e outras infec√ß√Ķes por coronav√≠rus, a fim de determinar os n√≠veis de exposi√ß√£o das pessoas ao risco de coronav√≠rus.

Gao Yingdai, pesquisador do Laborat√≥rio Experimental de Hematologia de Tianjin, que n√£o participou do estudo, disse que isso pode ser melhorado com a inclus√£o de uma porcentagem maior de amostras. Embora 2.000 n√£o sejam um n√ļmero pequeno, eles n√£o representam totalmente o n√ļmero total de pacientes infectados com Coronav√≠rus, que excede 180.000 em todo o mundo. Outro ponto fraco do estudo foi que ele n√£o forneceu uma explica√ß√£o clara para o fen√īmeno, como a intera√ß√£o molecular entre o v√≠rus e os diferentes tipos de gl√≥bulos vermelhos. Os tipos sangu√≠neos s√£o determinados pelo chamado ant√≠geno, um material na superf√≠cie dos gl√≥bulos vermelhos que pode desencadear uma resposta imune.

O bi√≥logo austr√≠aco Karl Landsteiner descobriu os principais grupos sangu√≠neos em 1901, dando-lhes os nomes A, B, AB e O. Essa descoberta possibilitou transfus√Ķes de sangue seguras, atribuindo grupos sangu√≠neos aos pacientes.Karl Landsteiner + grupos sangu√≠neos

Os tipos sangu√≠neos variam em popula√ß√£o. Nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 44% da popula√ß√£o tem tipo sangu√≠neo O, enquanto cerca de 41% t√™m tipo sangu√≠neo A. Em Wuhan, que tem uma popula√ß√£o de cerca de 11 milh√Ķes de pessoas saud√°veis, 32% tem tipo sangu√≠neo 0, enquanto 34% do grupo sangu√≠neo A. Ao mesmo tempo, dos pacientes, 38% tinham o grupo sangu√≠neo 0 e 25% tinham o grupo sangu√≠neo A.

Os cientistas são céticos sobre como os tipos sanguíneos evoluíram, embora uma teoria seja a de que eles estão ligados à memória genética, enquanto, de acordo com outra teoria, fatores ambientais como altitude, temperatura ou umidade podem contribuir para uma grau de crescimento populacional do tipo sanguíneo.

Por fim, √© importante observar que as pessoas com tipo sangu√≠neo O n√£o significam que s√£o completamente seguras e que n√£o correm o risco de serem infectadas pelo coronav√≠rus. Por conseguinte, devem continuar a seguir as instru√ß√Ķes emitidas pelas autoridades competentes.