Bloomberg News foi pego “espionando” seus clientes

Jornalistas da conhecida empresa multinacional de mídia Bloomberg foram acusados ​​de usar os dados financeiros do terminal da empresa para espionar as pessoas que usaram o serviço para obter notícias do mercado.

BloombergNews As notícias vieram à tona quando seus representantes O Goldman Sachs começou a reclamar que os repórteres da Bloomberg estavam segurando cartões para seus funcionários.

A Matthew Winkler, seu editor Bloomberg News, admitiram que os jornalistas tinham acesso às informações dos clientes, no entanto, enfatizaram que só podiam acessar dados limitados, em uma política que se diz ter começado nos anos 90.

Segundo Winkler, “os jornalistas sĂł podiam acessar o histĂłrico de logins de um usuário sem ter acesso a informações confidenciais”. AlĂ©m disso, eles poderiam acessar informações atravĂ©s do suporte tĂ©cnico da empresa.

“Os jornalistas nĂŁo tĂŞm acesso a transações, portfĂłlios, mensagens pessoais de clientes ou qualquer outra coisa. Eles nem conseguem ver o que nossos clientes leram “, continua Winkler.

Ele também enfatizou que todos os funcionários da empresa estão proibidos de discutir artigos ou informações exclusivas sobre a empresa e seus clientes.

“Pedimos desculpas por qualquer inconveniente causado, pois nĂŁo reflete nem nossa cultura nem nossa herança. Continuaremos nos esforçando para manter os mais altos padrões de segurança, seguindo as melhores práticas de novas tecnologias para melhor atender nossos clientes “.

Mas o Federal Reserve dos EUA e o Departamento do Tesouro dos EUA teriam iniciado uma investigação para descobrir mais sobre a “espionagem” dos repĂłrteres da Bloomberg.

“Estamos investigando o caso e contatamos a Bloomberg para descobrir mais”, disse um porta-voz do ministĂ©rio ao The Guardian.

Parece que as declarações de Matthew Winkler, da Bloomberg News, degradaram o evento, mas não convenceram o Governo Federal.