BlackBerry, adeus aos smartphones produzidos pela TCL

DivĂłrcio entre BlackBerry e TCL. Em 31 de agosto de 2020, a empresa chinesa nĂŁo terĂĄ mais o direito de projetar, produzir e vender novos smartphones da marca BlackBerry. No entanto, o fabricante continuarĂĄ a fornecer suporte para dispositivos jĂĄ vendidos atĂ© 2022. O anĂșncio foi feito atravĂ©s dos canais oficiais de mĂ­dia social. Os motivos nĂŁo foram divulgados.

Portanto, nĂŁo estĂĄ claro se a empresa canadense pretende abandonar completamente o mercado de smartphones ou se vocĂȘ quiser enfrentar novos desafios confiando em outros fabricantes ou voltando por conta prĂłpria. Neste Ășltimo caso, as coisas seriam muito mais complicadas, considerando a alta concorrĂȘncia e a dificuldade encontrada pela BlackBerry em seguir as tendĂȘncias do momento.

Antes da chegada da tela sensĂ­vel ao toque, o BlackBerry havia conseguido conquistar uma fatia enorme do mercado, graças aos seus dispositivos com um teclado QWERTY fĂ­sico. ApĂłs um declĂ­nio progressivo devido tambĂ©m Ă  falha na adoção do Android, a empresa parecia pronta para deixar o mercado de smartphones atĂ© a chegada do chinĂȘs TCL que tentou melhorar seu destino apresentando o primeiro dispositivo com o sistema operacional do Google a bordo em 2017. Foi o BlackBerry KeyOne, smartphone que nĂŁo desistiu de seu icĂŽnico teclado fĂ­sico.

2018 vĂȘ a chegada do BlackBerry Motion com seu design de toque completo que rejeitou o teclado fĂ­sico que – pelo contrĂĄrio – teria retornado ao Key2 e a variante mais barata do Key2 LE. AlĂ©m disso, todos esses dispositivos foram equipado com sistemas de segurança avançados projetados para serem usados ​​em contextos de negĂłcios. No entanto, as novas propostas nĂŁo foram capazes de conquistar o mercado tambĂ©m devido a preços nĂŁo competitivos.

E aqui estamos hoje. O TCL nĂŁo fabricarĂĄ mais smartphones BlackBerry Android mas – como dito no inĂ­cio – nĂŁo estĂĄ excluĂ­do que eles nĂŁo possam ser produzidos por outras empresas. Veremos!