Bill Gates est√° certo, a Microsoft tinha todas as credenciais para romper o mercado de smartphones

Quando Bill Gates fala, nunca √© trivial. Falando em um evento organizado pela empresa de capital de risco Villa Global (da qual ele √© um dos principais investidores), ele conversou com a CEO da Eventbrite, Julia Hartz, a quem admitiu como havia concedido ao Google o papel de “anti” -Apple “foi um dos seus maiores erros, tendo a Microsoft todas as habilidades para oferecer uma alternativa real ao iOS, como foi feito pelo Android.

O fracasso da gigante de Redmond no mercado de smartphones representa, com efeito, um evento ainda dif√≠cil de explicar hoje. N√£o tanto pelas raz√Ķes, na realidade t√£o claras quanto o sol (aus√™ncia de aplicativos na loja, falta de suporte ao desenvolvedor, nenhum investimento no lado do marketing etc …), mas tamb√©m pelo potencial infinito da Microsoft e, de fato, nunca explorado adequadamente.

O case Nokia √© emblem√°tico a esse respeito. A Microsoft adquiriu sua divis√£o de Dispositivos e Servi√ßos por US $ 5,44 bilh√Ķes em 2013, colocando as m√£os tamb√©m em todo o parque de patentes da Lumia, um verdadeiro tesouro do ponto de vista t√©cnico. Uma opera√ß√£o, no entanto, que, de fato, nunca foi realmente explorada para surgir no mercado de smartphones, com a presen√ßa da empresa finlandesa que foi definitivamente afundada.

A entrada no cen√°rio da HMD Global, que assumiu a marca, mostrou o quanto a Nokia ainda tinha a capacidade de atrair usu√°rios. No final de 2018, ou menos de dois anos ap√≥s a opera√ß√£o de reinicializa√ß√£o, a empresa finlandesa vendeu 70 milh√Ķes de smartphones, elevando-se em quinto lugar no ranking dos fabricantes de telefones na regi√£o EMEA (Europa, Oriente M√©dio e √Āfrica, dados atualizados para o primeiro trimestre de 2019).

Obviamente, ter escolhido o Android certamente representou uma das chaves do projeto criado pela HMD Global. Conforme mencionado pelo próprio Gates, no entanto, a Microsoft investiu em plataformas móveis antes de qualquer outra pessoa. com o Windows CE antes e com o Windows Mobile então, ambos apresentados anos e anos antes da chegada do sistema operacional Google e iOS.

Além disso, um aspecto a não ser subestimado, o Windows Phone tinha disponível uma base de usuários potencialmente ilimitadaque é todo mundo que usa o Windows em uma área de trabalho. Com uma integração adequada entre as duas plataformas e o muito desejado suporte para o Universal Apps, a Microsoft poderia ter vencido o jogo, podendo contar com um aspecto que não deve ser subestimado.

O Google est√° de fato trabalhando no Fuchsia, um sistema operacional que deve finalmente garantir a unifica√ß√£o da experi√™ncia em computadores e dispositivos m√≥veis. A Apple lan√ßou recentemente o iPadOS, atestando como √© necess√°rio ter, por meio de um dispositivo m√≥vel, fun√ß√Ķes cada vez mais atribu√≠veis aos computadores. Hoje, o Windows 10 pode ser executado em processadores ARM, ent√£o a Microsoft j√° teria encontrado a uni√£o entre as duas plataformas em casa.

“Teria sido natural vencer pela Microsoft” disse o fundador da empresa Redmond. Sabemos que no mercado de smartphones nada √© dado como certo e que muitas vezes √© f√°cil ou fazer previs√Ķes a posteriori. Nesse caso, por√©m, acredito que h√° muito poucas d√ļvidas: Bill Gates est√° certo.