AT&T pagará US $ 60 milhões por induzir em erro

AT&T

A AT&T é forçada a pagar uma multa de US $ 60 milhões, acusando-a de enganar mais de 3,5 milhões de clientes, cobrando-lhes “dados ilimitados” enquanto diminui a velocidade de seus dados quando seu uso excede um determinado limite.

Esse acordo refere-se a um caso de 2014, com a Federal Trade Commission.

A AT&T (T), controladora da CNN, começou a diminuir a velocidade dos clientes com programas de dados ilimitados em 2011, de acordo com a FTC. Essa prática dificulta a navegação na Internet ou a realização de outras atividades e, em alguns casos, o atraso atingiu quase 90%, segundo a FTC. Diz-se que o rebaixamento começou depois que os clientes usaram apenas 2 gigabytes de dados em um período de cobrança, informou a FTC em comunicado à imprensa hoje.

Em comunicado à CNN Business, um porta-voz da AT&T disse: “Embora muitos anos se passaram desde que implementamos essa ferramenta de gerenciamento de rede da maneira descrita pela FTC, acreditamos que isso é do melhor interesse dos consumidores”.

O dinheiro da liquidação será usado para reembolsar os clientes que sofreram um rebaixamento desde 2011. Os clientes não precisarão enviar um aplicativo para receber o dinheiro. Os clientes atuais receberão crédito em suas contas e os ex-clientes receberão cheques.

A FTC descobriu que a AT&T estava diminuindo a velocidade de seus clientes, que eu fazia programas para dados ilimitados, pois eles usavam mais do que uma certa quantidade de dados por ciclo de cobrança.

Além da multa, a AT&T não poderá mais usar títulos na velocidade ou quantidade de dados do telefone celular, inclusive sendo “ilimitado”, sem mencionar as restrições relevantes. Essas referências devem estar claramente visíveis em cada oferta e não devem ser ocultadas em letras miúdas ou hiperlinks.

“A AT&T prometeu dados ilimitados e não cumpriu essa promessa”, disse o diretor de proteção ao consumidor da FTC, Andrew Smith, em um comunicado à imprensa. “Embora possa parecer óbvio, precisamos reiterar que os provedores de Internet precisam informar seus usuários sobre quaisquer restrições à velocidade ou quantidade de dados”.