ASUS ZenFone 6 review: uma onda positiva de notícias

ZenFone 6 representa a vontade da ASUS propor algo novo, com o objetivo de recuperar terreno no mercado de smartphones. O design da c√Ęmera rotativa, combinado com o pre√ßo de tabela agressivo (a partir de 499 ‚ā¨) em compara√ß√£o com as caracter√≠sticas t√©cnicas, s√£o certamente um importante ponto de partida nessa dire√ß√£o. No entanto, o setor agora est√° saturado, e o marketing tardio, comparado aos concorrentes diretos, n√£o ajudar√°.

Afinal, o ZenFone 6 tentar√° falar para o mesmo alvo de produtos que o Mi 9 da Xiaomi, mas tamb√©m o OnePlus 7. Duas marcas, as √ļltimas, que no momento t√™m mais vento na popa no setor de smartphones do que a ASUS. Como veremos na an√°lise, no entanto, a empresa de Taiwan criou um produto decididamente convincente, com alguns sacrif√≠cios em compara√ß√£o aos produtos de mais de 1.000 euros que ainda n√£o afetam a experi√™ncia di√°ria.

Girando a c√Ęmera entre design e funcionalidade

Vamos come√ßar com o principal recurso deste ZenFone 6, ou a c√Ęmera rotativa. O mecanismo desenvolvido pela ASUS √© diferente dos sensores retr√°teis vistos no OnePlus 7 Pro e no Oppo Reno. Nesse caso, de fato, a c√Ęmera dupla traseira gira literalmente na frente quando voc√™ quer tirar uma selfie ou desbloquear o smartphone atrav√©s do reconhecimento de rosto.

Essa √© uma abordagem decididamente impactante, que em m√©dia desperta muita curiosidade ao v√™-lo ao vivo mas, ao mesmo tempo, levanta d√ļvidas sobre durabilidade. Utilizando-o todos os dias, √© poss√≠vel perceber alguns problemas cr√≠ticos, como o importante ac√ļmulo de poeira ou a possibilidade de reposicionar manualmente o m√≥dulo fotogr√°fico na parte traseira, que neste caso n√£o adere perfeitamente ao corpo.

Obviamente, √© imposs√≠vel ter uma resposta definitiva para essas d√ļvidas ap√≥s duas semanas de uso. No entanto, a ASUS introduziu uma s√©rie de truques preservar o mecanismo: em caso de queda acidental, fecha automaticamente; se o smartphone for colocado em uma superf√≠cie e o reconhecimento de rosto estiver ativado, o m√≥dulo fotogr√°fico n√£o girar√°, pois √© bloqueado pela superf√≠cie.

Em suma, construtivamente, a empresa de Taiwan fez um excelente trabalho. Obviamente, como √© um sistema composto por 13 pequenos motores alimentados por at√© 17 cabos de energia, ser√° interessante verificar sua estanqueidade ao longo do tempo. De qualquer forma, a rota√ß√£o n√£o tira o imediatismo do uso, as selfies sempre podem ser tiradas em poucas fra√ß√Ķes de segundo, podendo, entre outras coisas, contar com uma qualidade dif√≠cil de encontrar em outros dispositivos.

Você tem de fato disponível um sensor principal de 48 megapixels (é a Sony IMX586) com lente f / 1.8, com a possibilidade de tirar proveito de um segundo sensor de grande angular de 13 megapixels com lente f / 2.4, sem esquecer o flash, é claro. Em geral, a qualidade é muito boa, mesmo que um pouco de ruído digital ocorra à noite. Deste ponto de vista, a ASUS certamente poderia refinar o algoritmo de processamento de imagem.

Para sublinhar a presen√ßa do padr√£o HDR ++, que, no entanto, interv√©m de forma particularmente agressiva na faixa de cores. Existe a possibilidade de gravar v√≠deos em 4K a 60 qps e, entre outras coisas, usando as teclas de volume, √© poss√≠vel mover progressivamente o mecanismo de rota√ß√£o, para obter filmes panor√Ęmicos muito bonitos, especialmente durante o dia . N√£o perca o modo retrato para selfies e, em geral, o setor fotogr√°fico merece uma promo√ß√£o completa.

O corpo é feito de vidro, existe um sensor biométrico na parte de trás que funciona muito bem. Em mão o ZenFone 6 é bastante volumoso e os 190 gramas de peso são sentidos. Além disso, os materiais utilizados o tornam escorregadio, mas, desse ponto de vista, a cobertura transparente de policarbonato incluída na embalagem vem em socorro, o que, entre outras coisas, deixa espaço para a rotação do módulo fotográfico.

Infelizmente está faltando certificação impermeável bem como carregamento sem fio. A conectividade está decididamente concluída: Wi-Fi ac de banda dupla, Bluetooth 5.0, NFC, rádio FM, entrada de áudio de 3,5 mm, suporte para Dual SIM (sem ter que abrir mão da expansão da memória), GPS A-GLONASS BDS Galilelo. A parte de áudio é boa, com um efeito estéreo garantido pela cápsula do ouvido em combinação com o alto-falante do sistema.

Desempenho e exibição, entre luz e sombra

Pouco a dizer sobre as performances. A ASUS de fato jogou pelo seguro, escolhendo o Snapdragon 855 combinado com 6 ou 8 Gigabytes de RAM, dependendo da vers√£o (testamos o primeiro). O smartphone aparece fluido sob quaisquer circunst√Ęncias, mesmo quando for submetido a um estresse espec√≠fico. A dissipa√ß√£o de calor tamb√©m √© convincente, praticamente imposs√≠vel de ser percebida pelo corpo.

Entre outras coisas, as mem√≥rias de armazenamento usadas (64, 128 ou 256 GB, dependendo da vers√£o) s√£o do tipo UFS 2.1, portanto, nenhum efeito de “gargalo” desse ponto de vista. A plataforma de hardware tamb√©m √© auxiliada por uma tela que, gra√ßas √† resolu√ß√£o de 1.080 x 2.340, n√£o afeta muito o desempenho e a bateria. Por outro lado, no entanto, √© provavelmente o componente que mais faz a diferen√ßa parecer em compara√ß√£o com dispositivos como o Galaxy S10 + ou o OnePlus 7 Pro.

Observe voc√™, √© um painel absolutamente agrad√°vel. O uso da tecnologia IPS LCD, no entanto, diminui um pouco a cor e, al√©m disso, o brilho n√£o √© particularmente alto, causando algumas dores de cabe√ßa na visibilidade ao ar livre durante os dias ensolarados. Os √Ęngulos de vis√£o ainda s√£o bons e o fato de a superf√≠cie frontal estar quase totalmente ocupada pelas 6,4 polegadas da tela, proporciona um bom efeito de imers√£o.

Autonomia √© excepcional. A bateria de 5.000 mAh j√° prometeu muito bem em si mesma, mas o resto foi feito pela otimiza√ß√£o realizada pela ASUS. Com o meu uso (misturado entre LTE e Wi-Fi, 2 contas de email, centenas de notifica√ß√Ķes de redes sociais e aplicativos de mensagens instant√Ęneas, mais de 2 horas de telefonemas), consegui cobrir quase dois dias da tomada – 1 dia e 18 horas – em compara√ß√£o com 6 horas de acesso √† tela.

Isso foi possível também graças ao trabalho de remodelação realizado no ZenUI, que agora assumiu a aparência do Android Stock, aliviando consideravelmente todo o sistema. O ZenFone 6 chega ao mercado com o Android 9 a bordo, mas a empresa de Taiwan já garantiu a atualização para o Android Q e a próxima versão. Uma vantagem não um pouco.

Conclus√Ķes: quem deve compr√°-lo?

A c√Ęmera rotativa deste ZenFone 6, juntamente com o design resultante, representa, sem d√ļvida, um sopro de not√≠cias no cen√°rio dos smartphones. Desempenho, autonomia e qualidade fotogr√°fica convencem, com a ASUS que conseguiu posicionar este dispositivo com n√ļmeros decididamente competitivos: come√ßa em 499 euros (vers√£o 6/128 GB), que passam a 559 euros para a vers√£o 6/128 GB e 599 para o top 8/256 GB.

Pena que s√≥ chegou tarde em compara√ß√£o com alguns concorrentes diretos (como o Mi 9 da Xiaomi), mas, em qualquer caso, pode ser o produto ideal para quem procura uma experi√™ncia topo de gama, sem no entanto querer gastar n√ļmeros estonteantes. e ciente de ter que se comprometer.