Associação Helênica de Informática: Fortes críticas ao fornecimento de mamute para computador pelo Ministério da Educação

paideias Cito o an√ļncio muito interessante da Associa√ß√£o Hel√™nica de Inform√°tica a respeito de uma decis√£o do Minist√©rio da Educa√ß√£o pelo fornecimento de equipamentos tecnol√≥gicos:

Desde o in√≠cio de dezembro, fomos informados de que o Minist√©rio da Educa√ß√£o, por meio do Servi√ßo Especial de Implementa√ß√£o de A√ß√Ķes Educacionais, pretende adquirir 1138 “laborat√≥rios m√≥veis de TI” para algumas escolas prim√°rias e outro 1760 para todos os gin√°sios do pa√≠s, com um or√ßamento total. 21,5 milh√Ķes de euros. Lembramos que um projeto semelhante foi anunciado <‚Ķ>

pelo Ministro da Educa√ß√£o em 2009, pouco antes das elei√ß√Ķes de outubro.

As op√ß√Ķes espec√≠ficas que dizem respeito √† escolha de laptops e suas especifica√ß√Ķes levantar muitas perguntas tanto em termos de custo, viabilidade cient√≠fica / tecnol√≥gica das especifica√ß√Ķes t√©cnicas espec√≠ficas e sua funcionalidade e efici√™ncia no processo educacional. Especificamente:

A opção de compra de laptops, para equipamentos de laboratório de informática, é uma opção particularmente de alto custo, com baixos benefícios tecnológicos / de suporte no processo educacional. Indicativamente, deve-se mencionar que somente se a compra de computadores de mesa fosse escolhida, o Ministério poderia adquirir mais de Duplo computadores com características técnicas ainda melhores, criando a infraestrutura necessária em muito mais escolas que precisam deles.

Al√©m do custo mais alto, a escolha de laptops tem v√°rias outras desvantagens, como a maior frequ√™ncia de falhas – danos, especialmente em um ambiente t√£o exigente, em que cada laptop ser√° usado por muitos alunos diferentes, as telas de especifica√ß√£o menores e mais baixas que sobrecarregam a vis√£o dos alunos, teclados n√£o f√°ceis de usar, custos de manuten√ß√£o mais altos etc. At√© mesmo a quest√£o da “portabilidade” ainda n√£o est√° resolvida, j√° que os gabinetes que o Minist√©rio pretende adquirir n√£o “sobem escadas”, enquanto poucos as escolas t√™m elevadores. Al√©m disso, como existem infra-estruturas adequadas nas escolas (laborat√≥rios de inform√°tica) n√£o h√° necessidade de portabilidade.

Al√©m disso, mais uma vez o Minist√©rio est√° ostensivamente ignorando a possibilidade de usar Software Livre nos computadores dos laborat√≥rios, apesar das informa√ß√Ķes constantes que temos de n√≥s e de outros √≥rg√£os sobre suas vantagens comparativas. Indicativamente, deve-se mencionar que em muitas escolas do pa√≠s, por iniciativa dos professores, a solu√ß√£o Ubuntu LTSP (http://ts.sch.gr/ellak) j√° est√° sendo aplicada em antigos laborat√≥rios com equipamentos obsoletos que, no entanto, est√£o totalmente operacionais, a um custo de aproximadamente 100 Euros por laborat√≥rio. Mesmo que se queira perseverar, sem nenhum motivo real, tanto em “portabilidade”, ainda existe o projeto “$ 100 Portable” (one.laptop.org), que ainda √© ignorado por Estado grego oficial.

As escolhas em rela√ß√£o √†s especifica√ß√Ķes espec√≠ficas, exigindo explicitamente a exist√™ncia de um sistema de software propriet√°rio espec√≠fico de um grande sistema multinacional (pp. 97-98, especifica√ß√Ķes LAP 11.1, 11.2 e 11.33), s√£o realmente surpreendentes, pois o dinheiro p√ļblico √© literalmente desperdi√ßado (pelo menos 200 euros). por m√°quina) para produtos dispon√≠veis gratuitamente como Software Livre! Mais uma vez, indicativamente, mencionamos que na solu√ß√£o gratuita Ubuntu LTSP h√° v√°rios pacotes de software educacional totalmente funcionais e que atendem √†s necessidades educacionais. De fato, todos n√≥s precisamos saber que as escolhas espec√≠ficas do Minist√©rio em rela√ß√£o ao Software, muito em breve, sobrecarregar√£o os or√ßamentos dos comit√™s escolares a um custo significativo, quando ser√° necess√°rio atualizar os pacotes de software propriet√°rios espec√≠ficos.

Como cientistas e professores de inform√°tica, somos incapazes de entender as op√ß√Ķes espec√≠ficas, mas tamb√©m quem “respons√°vel” as sugeriu, ao mesmo tempo em que nossa Uni√£o e outros √≥rg√£os fizeram dezenas de interven√ß√Ķes no passado sobre quest√Ķes semelhantes (https: //www.epe .org.gr / showarticle.jsp? articleid = 442). Mas tamb√©m como cidad√£os gregos, achamos dif√≠cil entender que na Gr√©cia da crise √© poss√≠vel desperdi√ßar dinheiro de maneira t√£o provocativa e com o menor benef√≠cio poss√≠vel para a educa√ß√£o p√ļblica.

Ent√£o, por que, embora existam solu√ß√Ķes muito mais baratas e mais funcionais / eficazes de que o Minist√©rio est√° ciente, sua lideran√ßa pol√≠tica, com as propostas de escolha de qualquer um de seus assessores, parece ignor√°-las? Depois disso, por mais bem-intencionado ou ing√™nuo que seja, s√≥ podemos come√ßar a assumir quaisquer expedi√ß√Ķes. Portanto, solicitamos calorosamente, mesmo agora, que a lideran√ßa pol√≠tica do Minist√©rio revise as Especifica√ß√Ķes Econ√īmicas e T√©cnicas do projeto e encaminhe-a aos cientistas apropriados para propor a melhor solu√ß√£o de todos os lados. Para esse fim, estamos sempre √† disposi√ß√£o do Estado.

Coment√°rio Parapol√≠tico: Eu acho que respostas s√£o necess√°rias, e em breve. Mesmo que n√£o seja fraudulento, mas simples irrelev√Ęncia, o dinheiro p√ļblico parece ser desperdi√ßado por nenhuma raz√£o espec√≠fica.

Fonte: parapolitiki.com