As pessoas idosas leem mais facilmente em um tablet do que em um livro

willbe_microsoft_tabletpc Mas eles n√£o gostam.

Os idosos acham muito mais fácil ler um e-book em um tablet, mas não gostam da experiência da leitura digital e preferem um livro impresso comum. Esta é a conclusão de um novo estudo científico alemão, que mostra que, embora os idosos se sintam mais felizes com a leitura tradicional, eles se acostumaram a toda a vida, de fato <…>

seus c√©rebros e mentes ficam menos cansados ‚Äč‚Äčquando l√™em e-books.

Pesquisadores das universidades de Mainz, GŌĄőĻttingen e Marburg, liderados pela Dra. Francisca Kretschmar, publicaram a revista em acesso aberto. ¬ęPLoS ONE¬Ľ, realizaram experimentos com 56 pessoas com idades entre 66 e 77 anos. Os volunt√°rios leram mais r√°pido e, ao mesmo tempo, seus c√©rebros fizeram menos esfor√ßo ao usar um tablet do que quando leram de um livro ou mesmo de um leitor eletr√īnico especializado, como o Amazon Kindle. .

“Existe uma percep√ß√£o generalizada de que √© mais dif√≠cil ler de um dispositivo digital e que, nesse caso, √© menos prov√°vel que as pessoas pensem no que est√£o lendo. Mas nosso estudo mostrou que as pessoas mais velhas, de fato, sabem ler melhor que os computadores – tablets, talvez gra√ßas ao melhor contraste visual (comparado a um livro)., como disse Kretsmar, referindo-se √† ilumina√ß√£o de fundo oferecida pelos tablets (mas n√£o pelos leitores eletr√īnicos antigos). Maior “contraste” ajuda os idosos a reconhecerem melhor letras e palavras, para que seus c√©rebros possam processar o idioma mais rapidamente.

Os livros eletr√īnicos est√£o se tornando cada vez mais populares internacionalmente e, em alguns pa√≠ses, como Estados Unidos e Reino Unido, suas vendas j√° superaram as dos livros tradicionais de papel. Em muitos pa√≠ses, no entanto, ainda existe uma reserva e relut√Ęncia em expandir os livros eletr√īnicos, como √© o caso da Gr√©cia e da Alemanha, onde as vendas de livros eletr√īnicos n√£o excedem 1% do faturamento total do mercado de livros.

Quanto mais cautelosa Рou mesmo fóbica Рuma sociedade ou uma classe de pessoas (geralmente os idosos) estão em relação às novas tecnologias em geral, mais difícil, entre outras coisas, é a penetração dos e-books.

A pesquisa alemã mostrou um paradoxo: os idosos disseram que subjetivamente parecia mais fácil e agradável ler de um livro tradicional do que de um e-book. Mas as medidas objetivas dos cientistas (análise dos movimentos oculares, registro de ondas cerebrais etc.) mostraram exatamente o oposto: os idosos leram o e-book de forma mais rápida e confortável, embora não o admitissem ou o reconhecessem como uma experiência subjetiva. seus.

“O esfor√ßo mental e neurol√≥gico que uma pessoa idosa faz para ler em um tablet √© menor do que o necess√°rio para ler um livro impresso ou um e-reader”.disse o chefe da investiga√ß√£o.

Por outro lado, o estudo mostrou que voluntários mais jovens entre 21 e 34 anos não mostraram diferença semelhante, pois no caso em que a leitura em um tablet não era superior ao e-reader e ao livro impresso, em termos de medidas objetivas do cérebro.

Fonte: portal.kathimerini.gr