Apple permitir√° que iPhones NFC leiam dados de passaporte da UE

L√° brexit n√£o √© mais assustador, pelo menos do ponto de vista burocr√°tico. Logo de fato dados de passaporte de cidad√£os da UE que desejam permanecer no Reino Unido mesmo depois que este saiu da Uni√£o Europeia, eles tamb√©m podem ser controlados via iPhone. Segundo relatos do Guardian, de fato, o governo brit√Ęnico teria conseguido convencer a Apple a expandir os recursos dos chips NFC montado em seus smartphones, para permitir que ele opere o aplicativo EU Exit ID Document Check, anteriormente suportado apenas pelo Android.

A expans√£o da funcionalidade do iPhone, no entanto, deve ser tempor√°ria e n√£o definitiva, portanto destinado exclusivamente a facilitar opera√ß√Ķes de reconhecimento que os cidad√£os da UE que desejam continuar vivendo no Reino Unido ter√£o que fazer. Normalmente, de fato, os chips NFC da Apple s√≥ podem ler dados no formato NDEF, que n√£o √© o usado nos passaportes da UE e nos cart√Ķes de identidade.

Tudo nasceu de um “erro” cometido pelos desenvolvedores do Home Office, que h√° um ano n√£o levava em conta o fato de que a Apple com seus iPhones detinha 48% do mercado nacional e, portanto, criava o aplicativo, tornando-o compat√≠vel apenas com os sistemas Android. Obviamente, as cr√≠ticas n√£o faltam e o governo pensou em se apressar em pedir cobertura √† Apple para uma expans√£o tempor√°ria dos recursos do chip, em vez de reescrever completamente o aplicativo.

Para o procedimento de identificação, os cidadãos da UE poderão usar seu smartphone ou acessar um site específico para realizar o reconhecimento facial, mas, em qualquer caso, terão que digitalizar seus documentos de identidade, por meio do aplicativo ou enviando-os por correio ou indo fisicamente. um dos 50 check-ins é aberto em todo o país.