AnĂŽnimo: o fim do boxe

VocĂȘ se lembra do Anonymous? Analistas de ameaças relatam que a cena do hacktivismo simplesmente deixou de existir. Novos dados divulgados hoje pela IBM X-Force confirmam o colapso completo do cenĂĄrio hacktivista, jĂĄ que os nĂ­veis de atividade caĂ­ram 95% desde 2015.

Segundo a IBM, os incidentes de segurança causados ​​por grupos de hackers que operam de maneira hacktivista diminuíram desde 2015, quando a empresa registrou 35 incidentes diferentes.

Desde entĂŁo, os incidentes tĂȘm diminuĂ­do constantemente, com apenas cinco relatados em 2017, dois em 2018 e nenhum nos primeiros meses do ano.

Os ataques de grupos hacktivistas continuaram, mas o nĂșmero de incidentes reais (violaçÔes bem-sucedidas) estĂĄ relatando um declĂ­nio constante.

Os pesquisadores citam dois fatores para esse declĂ­nio – a morte do Anonymous e a repressĂŁo contĂ­nua pelas autoridades policiais que eliminaram as fileiras dos hacktivistas.

Provavelmente, o maior papel no colapso da atividade hacktivista foi a desintegração da equipe Anonymous, que, segundo a IBM, foi responsåvel por 45% de todas as violaçÔes de segurança no cenårio hacktivista.

Os hackers anÎnimos jå violaram empresas e redes governamentais por vårias razÔes humanitårias ou sociais, mas, segundo a IBM, o nome da equipe agora foi manchado por seu envolvimento em campanhas políticas que começaram por volta de 2016 e removeram muitos de seus membros.

ApĂłs campanhas como #OpKKK (relatĂłrio de membros da KKK), #OpParis (relatĂłrio de membros do ISIS), #OpISIS (relatĂłrio de membros e sites do ISIS), #OpWhale (violaçÔes de sites japoneses e islandeses envolvidos em nĂŁo-deslocados internos) Autorizado caça Ă s baleias (em bancos e instituiçÔes financeiras), o grupo supostamente vem despejando nos Ășltimos anos dados roubados de organizaçÔes polĂ­ticas.

O evento levou ao surgimento do termo “Fake Anons”, que descreve membros anĂŽnimos que nĂŁo sĂŁo afiliados ao grupo ou atuam em uma agenda pessoal, promovendo propaganda polĂ­tica ou beneficiando financeiramente.

Os Anons Falsos dividiram o grupo maior, confundindo o pĂșblico em geral. Com falta de liderança e uma agenda confusa, os membros se retiraram lentamente, rejeitando o nome e a idĂ©ia do Anonymous.

AnĂŽnimo

AlĂ©m disso, o envolvimento de vĂĄrios grupos do governo destruiu o nome de Anonymous. Esses grupos operam a partir de serviços de inteligĂȘncia de elite e se disfarçam de anĂŽnimos para promover propaganda polĂ­tica ou promover campanhas de influĂȘncia pĂșblica.

Suas açÔes dividiram a equipe Anonymous.

Deve-se notar aqui que os ataques da equipe não foram todos admiråveis. Em muitos casos, hackers anÎnimos vazaram informaçÔes pessoais do usuårio para prejudicar pessoas inocentes por razÔes ridículas.

Isso, por sua vez, levou a uma atenção crescente das agĂȘncias policiais, que conseguiram reprimir vĂĄrios grupos anĂŽnimos, como o LulzSec e outros menores.

“O monitoramento das prisĂ”es pelo X-Force IRIS revelou que as agĂȘncias policiais nos Estados Unidos, Reino Unido e Turquia prenderam pelo menos 62 hacktivistas desde 2011. Suspeitamos que o nĂșmero real seja maior do que aquele anunciado publicamente “.