Android, 10 anos como protagonista: qual é o próximo passo?

10 anos de Android. Em 23 de setembro de 2008, o Google apresentou a primeira versão de seu sistema operacional, destinada a dominar a cena dos smartphones nos próximos anos. Hoje é o sistema operacional mais popular do mundo, ainda mais que o Windows, e provavelmente deve dar o maior passo em sua história.

O mercado de dispositivos m√≥veis est√° evidentemente enfrentando uma encruzilhada. 1,5 bilh√£o de smartphones foram vendidos em 2017, dos quais mais de 85% est√£o equipados com Android. Pela primeira vez, no entanto, houve uma contra√ß√£o nos embarques, em alguns casos, tamb√©m bastante marcado como aconteceu na China no √ļltimo trimestre do ano passado (-14%).

sonho htc
HTC Dream

O cen√°rio mudou incrivelmente desde os dias do T-Mobile G1 (conhecido em nossa parte como o HTC Dream), o primeiro smartphone baseado no Android. Comercializado em 22 de outubro de 2008 nos Estados Unidos, em abril de 2009, atingiu um milh√£o de unidades vendidas. Uma enormidade para a √©poca, n√ļmeros que empalidecem diante dos de hoje.

O HTC Dream chegou ao mercado equipado com o Android 1.0, foi chamado assim. Desde a versão 1.5, o Google começou a usar os nomes de alguns doces. Então aqui está o Android Cupcake, Donut, Eclair, Froyo, Gingerbread, Ice Cream Sandwich, até o mais recente Oreo (versão 8.0) e Pie (versão 9.0, que será um grande protagonista no próximo ano).

Leia também: Google Fuchsia, adeus ao Android dentro de 5 anos?

Mas n√£o √© apenas uma quest√£o de vendas. Os smartphones, ou melhor, os sistemas operacionais m√≥veis atingiram essa maturidade em termos de funcionalidade ter ficado preso por alguns anos agora. Google e Apple continuam arquivando pequenos detalhes do Android e iOS, cuja experi√™ncia de usu√°rio em segundo plano √© substancialmente a mesma de vers√Ķes diferentes.

143859 telefones notícias android p é oficial google revela recursos lança dev preview image1 xdwzp8qpvj

Em conclus√£o, o setor precisaria da “pr√≥xima grande novidade”, um conceito t√£o querido pela Apple durante as confer√™ncias de apresenta√ß√£o de seus dispositivos. O Google parece j√° estar trabalhando no que pode se tornar seu trunfo para os pr√≥ximos anos. Estamos falando do sistema operacional Fuchsia, ou o herdeiro designado do Android.

Diferentemente dos sistemas operacionais anteriores desenvolvidos pelo Google, ou seja, Android e Chrome OS, baseados no kernel Linux, o Fuchsia OS é baseado em um novo microkernel chamado Magenta, derivado diretamente do Little Kernel (LK), que tem uma particularidade: Ele foi projetado para funcionar em qualquer tipo de dispositivo.

Leia tamb√©m: SO f√ļcsia, eis como o herdeiro do Android funciona

O que isso significa? O Fuchsia OS poder√° adaptar a interface gr√°fica e as fun√ß√Ķes de acordo com o dispositivo no qual ser√° instalado ou talvez conectado (pense em um smartphone conectado a um monitor externo). Finalmente poderia se tornar realidade essa uni√£o entre dispositivos m√≥veis e computadores, capaz de unificar as diferentes necessidades dos usu√°rios em um √ļnico produto.

OS f√ļcsia

Al√©m disso, os smartphones agora t√™m um poder de computa√ß√£o que lhes permite suportar a maioria dos aplicativos de desktop, pelo menos no que diz respeito √†s opera√ß√Ķes di√°rias. H√° algum tempo, alguns usu√°rios reclamam, para a Apple, de um iPad Pro baseado no MacOS, dadas as limita√ß√Ķes inevit√°veis ‚Äč‚Äčdo iOS no setor de produ√ß√£o (obviamente compartilhado com o Android). Poderia ser o Google quem est√° avan√ßando nessa dire√ß√£o.


Tom’s Recommend

Xiaomi Redmi 5 Plus é um smartphone caracterizado por uma excelente relação custo / benefício. Equipado com o Snapdragon 625 emparelhado com 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, está disponível para compra na Amazon menos de 200 euros. Você pode encontrá-lo neste link.