Alunos e internet

A maioria dos alunos do ensino fundamental (98%) afirmou ser usuário da internet, mas apenas 17% acredita ter a supervisão dos pais ou mesmo a presença física dos pais na área quando estão na internet. os dados do programa de internet segura criado por um grupo de psicólogos e sociólogos da Diretoria de Saúde Pública e Bem-Estar Social da Unidade Regional de Trikala.

Através desse contato com os alunos das três últimas séries do ensino fundamental, 17 escolas <…>

Na Unidade Regional de Trikala (651 alunos), foram coletados dados que nos dão uma imagem geral do tamanho da exposição das crianças aos perigos da Internet. na internet, para não exceder uma hora por dia, 41% acessam a internet até 3 horas por dia. Vale ressaltar que 20% afirmaram que permanecem no computador por mais de 3 horas por dia. A porcentagem de estudantes que afirmam usar o celular para acessar a Internet chega a 37%, enquanto a porcentagem de estudantes que visitam um cibercafé chega a 39%.

83% jogam jogos online, 89% acessam o youtube e metade dos que acessam a internet tem uma conta no facebook. Uma porcentagem significativa, acima dos 33%, disse que havia conversado com estranhos pelo menos uma vez.

Diferenças significativas surgem, no contexto do mesmo programa, entre meninos e meninas em suas respostas. Meninos com taxas muito mais altas do que meninas disseram que visitam cibercafés, ficam on-line por mais de três horas por dia e conversam com estranhos.

As meninas, por outro lado, acreditam que uma porcentagem maior de meninos tem supervisão de seus pais quando estão online e trabalham apenas uma hora por dia online.

Os pais, de acordo com a equipe de psicólogos e sociólogos da Diretoria de Saúde Pública e Bem-Estar Social da Unidade Regional de Trikala, devem supervisionar a navegação de seus filhos na Internet, ou seja, controlar o histórico de navegação, conversas, amizades e relacionamentos. .

Existem programas no mercado que restringem o uso descontrolado da Internet por menores. Os pais também devem tentar ser o mais informados possível sobre os desenvolvimentos na Internet. Antes de permitir que seus filhos naveguem em um site online, seria bom que eles soubessem o que é esse site.

Quanto ao tempo gasto na internet, segundo o grupo, nota-se que os pais devem estabelecer limites estritos e claros ao tempo que permite que uma criança acesse a internet. Com muita frequência, os pais veem a Internet como uma maneira fácil, silenciosa e segura para as crianças ignorarem os perigos do vício futuro.

Por fim, a equipe observa que a boa comunicação com a criança, a fala simples e clara dos pais, livre de estresse, exagero e humor crítico, pode ser o melhor método de proteção contra os constantes desafios da Internet.