Aaron Swartz, hacker e ativista dos direitos digitais, comete suicídio

Um dos hackers e ativistas políticos mais carismáticos dos direitos digitais, o americano Aaron Swartz, foi encontrado morto na sexta-feira em Nova York com apenas 26 anos de idade. Sua morte é atribuída ao suicídio.

Aaron Swartz está envolvido em programação desde tenra idade.

Aaron Swartz

Aos 14 anos, ele se tornou um de seus editores Padr√£o RSS (Resumo do site RDF), uma maneira de transmitir informa√ß√Ķes de um site, geralmente not√≠cias ou an√ļncios de novas postagens de blog, de maneira r√°pida e f√°cil para outras p√°ginas ou aplicativos (organiza√ß√£o).

Mais tarde, ele se envolveu ativamente na organização Creative Commons fundada pelo professor Larry Lessing e sua comunidade Reddit, do qual ele também foi co-fundador.

Aaron Swartz estudou em Stanford por um ano, mas desistiu e depois se dedicou à programação e ao ciberativismo político.

Em 2009, ele conseguiu baixar e distribuir gratuitamente na Internet cerca de 20% dos documentos dos tribunais federais registrados no banco de dados do PACER. Embora devessem formalmente ser livres, o PACER cobrou o acesso, mas Schwartz conseguiu disponibiliz√°-los ao p√ļblico em geral.

Logo depois, em 2011, quase secretamente colocando um laptop na rede do MIT, ele baixou do banco de dados JSTOR, que possui conte√ļdo de assinatura para centenas de revistas cient√≠ficas, quatro milh√Ķes de posts, muitos dos quais tamb√©m devem estar dispon√≠veis gratuitamente como propriedade comum.

As publica√ß√Ķes foram divulgadas por ele na forma de um arquivo torrent na Internet, enfurecendo o MIT e o JSTOR. Schwartz foi preso, mas libertado sob fian√ßa, mas foi acusado de fraude.

Ambos os casos colocam Schwartz no centro das aten√ß√Ķes das autoridades americanas que lan√ßaram uma investiga√ß√£o contra ele.

Aaron Swartz teve uma ação política significativa a favor dos direitos digitais e contra a intervenção do Estado, enquanto escrevia e distribuía com licenças suficientes. programas.

Segundo o autor e ativista Cory DoktrouSchwartz sofria de anos de depress√£o, problemas sobre os quais escrevera abertamente no passado.

no