A UE estĂĄ impondo sançÔes ao Google por sua polĂ­tica de privacidade Ășnica

google2 Conforme declarado pela Autoridade Francesa de Proteção de Dados Pessoais, a nova política não protege a privacidade dos usuårios.

A União Européia (UE) afirmou que planeja impor sançÔes ao Google por não cumprir as leis da UE, jå que a empresa americana viola as leis de privacidade européias.

Isto Ă© afirmado na declaração de hoje da Autoridade Francesa de Proteção de Dados Pessoais (CNIL), acrescentando que atĂ© agora o gigante da Internet ignorou <
>

as recomendaçÔes relevantes das autoridades do Velho Continente.

O motivo da disputa Ă© a decisĂŁo tomada pelo Google em março passado de unificar uma das, atĂ© entĂŁo, polĂ­ticas de privacidade independentes de seus serviços de Internet. Assim, a partir de março, a empresa pode combinar dados de todos os 60 de seus serviços (por exemplo, YouTube, Gmail ou mecanismo de pesquisa), para criar um perfil de consumidor mais detalhado dos usuĂĄrios e fornecer “direcionados” ainda mais eficazes. anĂșncios.

De acordo com o gigante da Internet, esse movimento melhora a experiĂȘncia do uso de seus serviços. Mas especialistas em privacidade argumentaram desde o inĂ­cio que uma Ășnica polĂ­tica de privacidade nĂŁo deixa espaço para usuĂĄrios alĂ©m de sair de sua conta e permite que o Google monitore em detalhes as atividades on-line daqueles que usam o “ecossistema”. “Do.

Nesse contexto, em outubro passado, as autoridades reguladoras europĂ©ias alertaram a empresa americana de que a polĂ­tica de privacidade Ășnica viola o direito comunitĂĄrio, dando a ela quatro meses para prosseguir com as mudanças necessĂĄrias. Dirigidas pela CNIL, encarregada de investigar o assunto, as autoridades fizeram 12 recomendaçÔes a esse respeito, enfatizando a necessidade de informar melhor os usuĂĄrios sobre quais informaçÔes foram coletadas, por quais serviços e com que finalidade.

No entanto, “o prazo chegou, sem respostas convincentes e eficazes do Google”, afirmou o comunicado da CNIL. Portanto, de acordo com a agĂȘncia francesa, o prĂłximo passo planejado pelos reguladores Ă© se reunir na prĂłxima semana. O objetivo da reuniĂŁo serĂĄ determinar um plano de ação conjunto e coordenar suas açÔes para que qualquer ação contra o Google entre em vigor no verĂŁo.

A ComissĂŁo Europeia disse que apĂłia os esforços para fazer cumprir as leis de privacidade. “O nĂșmero de empresas que oferecem serviços online na UE eles devem estar em conformidade com o direito comunitĂĄrio “, disse Mina Andreeva, porta-voz da ComissĂĄria da Justiça Viviane Reding. “As pessoas precisam saber como processar seus dados”, acrescentou.

Por seu lado, o Google emitiu uma declaração alegando que sua polĂ­tica de privacidade Ășnica nĂŁo entra em conflito com a lei europeia.

Fonte: portal.kathimerini.gr