A ONU proibiu o WhatsApp para seus funcionários

Whatsapp

Um porta-voz da ONU disse que a ag├¬ncia proibiu seus funcion├írios de usar o WhatsApp como meio de comunica├ž├úo, uma vez que n├úo a considerava uma plataforma segura.

A decis├úo foi tomada depois que as Na├ž├Áes Unidas acusaram a Ar├íbia Saudita de invadir o celular do CEO da Amazon e do propriet├írio do Washington Post, Jeff Bezos, por meio de sua conta do WhatsApp.

O especialista da ONU tamb├ęm disse ter informa├ž├Áes relevantes indicando o envolvimento de Mohammed bin Salman, pr├şncipe da Ar├íbia Saudita e herdeiro do trono, no caso.

Segundo um relat├│rio do FTI, as Na├ž├Áes Unidas pediram uma investiga├ž├úo pelos Estados Unidos e outras autoridades importantes. Segundo relatos, o iPhone de Jeff Bezos foi invadido por um arquivo de v├şdeo malicioso enviado de uma conta do WhatsApp usada pelo pr├şncipe da Ar├íbia Saudita.

Questionado se o secret├írio-geral da ONU, Antonio Guterres, havia se comunicado com o pr├şncipe da Ar├íbia Saudita ou qualquer outro l├şder do planeta via WhatsApp, as autoridades disseram que n├úo.

Segundo o porta-voz da ONU Farhan Haq, nenhum funcion├írio da organiza├ž├úo pode usar o WhatsApp como meio de comunica├ž├úo, pois ├ę considerado inseguro.

Ele tamb├ęm disse que n├úo acreditava que o Secret├írio-Geral da ONU usasse o WhatsApp, nem qualquer outro funcion├írio, seguindo as diretrizes da organiza├ž├úo desde junho de 2019.

Por seu lado, o WhatsApp disse que leva muito a s├ęrio a seguran├ža das mensagens trocadas em sua plataforma.

O especialista em seguran├ža digital Oded Vanunu disse que cada aplicativo tem uma falha que pode ser explorada por um hacker profissional de uma maneira ou de outra. Concluindo, no entanto, ele enfatizou que as pol├şticas de seguran├ža do WhatsApp s├úo um “sonho ilus├│rio” para muitas plataformas concorrentes.