A Microsoft parou de vender e-books na Microsoft Store

A Microsoft anunciou hoje que fechou completamente a categoria e-books na Microsoft Store. A partir de hoje, os clientes da Microsoft Store nĂŁo poderĂŁo comprar novos e-books, pois a categoria nĂŁo estĂĄ mais incluĂ­da na Loja.

ebooks

De acordo com a Microsoft, os clientes que jå compraram e-books na Microsoft Store perderão o acesso a esses livros a partir de julho de 2019. A Microsoft farå um reembolso total para seus clientes, para os adquiridos e-books, desde que o método de pagamento original ainda seja vålido. Os clientes cujo método de pagamento original não é mais vålido, bem como os clientes que pagaram usando cartÔes-presente ou créditos, não receberão nenhum crédito da Microsoft Store.

Os e-books pagos e gratuitos serão completamente removidos a partir de julho de 2019. Os clientes poderão ler seus livros e notas até julho de 2019. Os clientes que adicionaram notas aos livros receberão um crédito adicional de US $ 25 na conta. na Microsoft.

Vale ressaltar que o anĂșncio nĂŁo diz respeito Ă  GrĂ©cia, pois a Microsoft havia dado acesso Ă  categoria de e-books apenas nos EUA, o que sugere que o fechamento da categoria diz respeito a um nĂșmero limitado de usuĂĄrios.

A categoria do livro nĂŁo Ă© a primeira Microsoft a remover da loja. A empresa descontinuou anteriormente o Groove Music and Music Pass em 2017.

A descontinuação de e-books pela Microsoft mostra que as compras online podem ser convenientes, mas vocĂȘ pode perder o acesso a produtos digitais a qualquer momento. NĂŁo sĂŁo apenas as pequenas empresas que colocam suas compras em risco. Se uma das empresas mais bem-sucedidas do mundo nĂŁo puder suportar uma categoria inteira de compras, qualquer empresa poderĂĄ ficar entediada a qualquer momento.

Para a Microsoft, esta é a segunda categoria de produtos de consumo a fechar na loja. Os clientes que usam a loja para comprar jogos, aplicativos ou outras mídias digitais podem estar se perguntando se é uma boa ideia comprar ao redor. E, em geral, a empresa parece estar desistindo de muitos produtos de consumo, jå que o Windows Phone é outro exemplo da mudança em sua política. Como serão as coisas daqui a um ano ou dois?