A história de Norah Gordon Cleather, a mulher que manteve Wimbledon de pé durante a guerra

Aqui o artigo original de Bill Simons

Quanto a 2020 Wimbledon nĂŁo farĂĄ isso, mas como parte do processo de luto, vamos passar por isso alguns dos momentos mais altos – mas tambĂ©m alguns dos menos valiosos – que este grande encontro anual nos deu.

Melhor jogador: Roger Federer, oito tĂ­tulos.

Melhor jogador: Martina Navratilova, nove tĂ­tulos.

Estrela mais brilhante na Royal Box: Lady D.

Momento mais real: A rainha Elizabeth entrega a Virginia Wade o troféu em 1977. A rainha retornarå para participar apenas em 2010.

Sinal favorito: “Pense na sua cabeça” (normalmente humor inglĂȘs para “Por favor, cuide da sua cabeça”).

O essencial Ă© melhor: antes de 1975, nenhum homem negro jamais vencera Wimbledon. Connors era dominante em campo e feroz fora dele. Ele acabara de processar Ashe. Ele foi o favorito para a vitĂłria final. No entanto, no Playboy’s Club, em Londres, Ashe e sua equipe desenvolveram uma espĂ©cie de estratĂ©gia passiva: acertar uma reposição, nĂŁo permitindo que Jimbo, o macho, se apoiasse nos tiros. Funcionou. Connors, frustrado, inclinou a cabeça. Ashe triunfantemente ergueu o punho na vitĂłria.

O campo que mais falta: Wimbledon desistiu de seu “cemitĂ©rio campeĂŁo”, o infame Tribunal 2, enviando-o para seu prĂłprio funeral. Antes de sua queda, no entanto, muitos Golias de tĂȘnis foram derrotados pelo aspirante a David neste campo. Nenhum campo foi mais nivelador do que o Tribunal 2: pergunte a Sampras, McEnroe, Serena, VĂȘnus, Becker, Agassi ou Hingis.

Melhor explosão: Dois meninos de 17 anos causaram sensação. Boris Becker tornou-se o vencedor masculino mais jovem em 1985, e em 2004 Maria Sharapova afundou Serena para se tornar a mais jovem vencedora do Open Age.

As rivalidades mais acaloradas: Martina Navratilova teve um registro de 5-4 contra Chris Evert. Serena venceu em VĂȘnus por 4 a 1, Navratilova sempre derrotou Graf 3 vezes, sem sofrer uma parada do alemĂŁo. Boris Becker tem um recorde de 3-2 sobre Stefan Edberg. Roger lidera Rafa por 3 a 1, enquanto Borg e McEnroe compartilham dois jogos da maior e mais cĂ©lebre rivalidade do tĂȘnis, exceto a “batalha dos sexos”.

As melhores correspondĂȘnciasOs flashes de gĂȘnio de Rafa Nadal que conquistaram Roger Federer ao pĂŽr do sol em 2008 tornaram esse jogo o melhor de todos os tempos. A melhor partida da era clĂĄssica foi a batalha entre Borg e McEnroe, marcada de 18 a 16. McEnroe venceu a batalha no desempate do quarto set, mas Borg venceu a guerra e, com ela, a final de 1980 
 e, caso nĂŁo seja suficiente: outras batalhas que merecem menção sĂŁo a final do ano passado entre Djokovic e Federer, o ‘Isner vs Mahut infinito em 2010, a entrega de Federer vs Sampras em 2001, Budge vs von Cramm em 1937, Dokic vs Hingis em 1999, Murray vs Djokovic em 2013 e Djokovic vs Nadal em 2018.

Chegue perto, mas não muito perto: Em 2009, Andy Roddick enfrentou Federer pela quarta vez na final do Slam. Roddick havia marcado pontos no segundo para avançar dois sets, mas falhou um voleio de backhand realmente difícil em um campo relativamente aberto. Com Sampras nas arquibancadas, Federer venceu 16-14 em quinto para quebrar o recorde de 14 Slam de Pistol Pete.

Melhor profeta em casa: Em 2013, Andy Murray se tornou o primeiro britùnico em 77 anos a erguer o troféu de homem para singles.

Melhor discurso: em 2012, a entrevista chorosa com Andy Murray, na qual ele confidenciou “nĂŁo serĂĄ fĂĄcil”. ApĂłs a derrota contra Angie Kerber em 2018, Serena disse: “Para todas as mĂŁes do mundo, eu estava jogando por vocĂȘ”.

Melhor maratona: o tempo médio para concluir uma maratona no ano passado foi de 4 horas e 30 minutos. Em 2010, Isner vs Mahut terminou com uma pontuação de 70-68, após uma duração de 11 horas e cinco minutos.

CorrespondĂȘncias fundamentais: houve muitas correspondĂȘncias importantes na histĂłria de Wimbledon. A primeira vitĂłria de Borg significou a chegada de uma nova geração de campeĂ”es europeus. A aparĂȘncia das irmĂŁs Williams Ă© uma mudança global no cenĂĄrio do tĂȘnis, e Nadal provou que os especialistas em quadras de saibro tambĂ©m podem prevalecer na grama. Mas para nĂłs, a vitĂłria da quarta rodada de Federer sobre Sampras em 2001 anunciou a chegada de uma nova era como poucas outras fizeram.

Melhores surpresas: O debate sobre quais sĂŁo as reversĂ”es mais surpreendentes, aqui estĂŁo algumas. Stakhovsky em Federer em 2013, Dokic no nĂșmero 1 Hingis em 1999, Querrey em Djokovic em 2016, Lisiki em Serena em 2013, Doohan em Becker em 1987, Flach em Agassi em 1996, Doutor Ivo Karlovic em Hewitt em 2003, Bastl em Sampras em 2002, Rosol no Nadal em 2012, Darcis no Nadal em 2013, Kyrgios no Nadal em 2014, Brown no Nadal em 2015.

A melhor boca seca: trĂȘs dĂ©cadas atrĂĄs, Ivan Lendl dominou o circuito, mas nunca venceu em Wimbledon, duas vezes foi derrotado na final e trĂȘs vezes seu caminho parou na semifinal. Tim Henman perdeu quatro vezes na semifinal. Outros jogadores que permaneceram em jogo foram Monica Seles, Justine Henin, Kim Clijsters, Tracy Austin, Aranxta Sanchez-Vicario, Li Na, Jennifer Capriati, Mary Pierce, Gabriela Sabatini, Hana Mandlikova, Dinara Safina, Jim Courier, Stan Wawrinka e Mats. Vilander, Guillermo Vilas, Guga Kuerten, Ilie Nastase, Ken Rosewall, Patrick Rafter, Marat Safin, Yevgeny Kafelnikov, Marin Cilic, Juan Martin Del Potro, Tomas Berdych, Mark Philippoussis, Milos Raonic e Sergi Bruguera.

As celebraçÔes a serem lembradas: uma radiante Virginia Wade enquanto se curva diante da rainha. Borg ajoelhado. Ashe com o punho erguido. Pat Cash gritando para a arquibancada convidada, VĂȘnus pulando no cĂ©u, John Isner caindo no chĂŁo, Federer ajoelhado com o torso para trĂĄs, Sharapova chamando sua mĂŁe, Djokovic e Navratilova, curvando-se para rasgar um tufo de grama para 
 mastigar e milhares de outras deitadas de costas.

Tradução por Michele Brusadelli