A Apple estará na lista negra na China?

O governo Trump pode ter concedido à Huawei 90 dias, mas isso não significa que tenha confiado nela de um momento para o outro. De acordo com uma fonte, o vice-secretário de Defesa Patric Shanahan disse que a Huawei não é uma empresa confiável, pois não sabemos o quão perto está do governo chinês.

Patrick também disse que o risco é grande demais e que não podemos saber se essas redes serão protegidas. Obviamente, ele estava se referindo à pressão dos aliados dos EUA para não permitir o uso dos equipamentos de rede 5G da Huawei.

O perigo a que Patrick está se referindo é a possível existência de uma “porta dos fundos” que permitirá que informações sejam enviadas ao governo chinês.

Como tudo mostra, a China está se preparando para responder à “guerra” da América, criando uma lista negra de empresas estrangeiras que não poderão fornecer produtos para empresas chinesas e principalmente para a Huawei.

Até agora, Google, Qualcomm, Intel e ARM decidiram parar de fornecer a Huawei e provavelmente estão na lista negra. Um porta-voz do Ministério do Comércio da China disse que a lista inclui indivíduos e empresas que “representam uma ameaça ou ameaça potencial à segurança nacional da China”. Ele observou que a lista será publicada em breve.

Junto com tudo isso, a China pode parar de fornecer materiais dos Estados Unidos.

Mas e a Apple? É possível que o gigante americano esteja nessa lista negra?

A resposta para a pergunta acima é bastante não. Alguém poderia pensar que, como a receita da Apple vem em grande parte do mercado chinês, essa seria uma boa maneira de a China se vingar.

No entanto, existem algumas coisas muito importantes que não favorecem essa mudança. Primeiro, a Apple não está cooperando com a Huawei e, segundo, a maioria dos iPhones são fabricados na China por empresas chinesas que têm funcionários chineses. Portanto, uma grande queda na produção do iPhone terá um impacto na economia da China.

Fonte