90% dos consumidores gregos nas redes sociais

Quase nove em cada dez gregos s√£o usu√°rios regulares de sites de redes sociais

“Preso” com as m√≠dias sociais e pronto para grandes cortes em suas necessidades de telecomunica√ß√Ķes. Isso foi afirmado pelos consumidores gregos em uma pesquisa realizada pelo IBM Institute for Business Value (IBV), recentemente conduzida entre 13.000 pessoas em 24 pa√≠ses.

De acordo com o an√ļncio da IBM, na Gr√©cia, os consumidores<‚Ķ>

est√£o preocupados com a crise da d√≠vida na Europa e esperam cortar seus gastos em quase tudo, incluindo servi√ßos de provedores de telecomunica√ß√Ķes.

Ao mesmo tempo, no entanto, os consumidores gregos reduziram as redes sociais a um meio básico de comunicação, que eles usam regularmente.

Em particular, espera-se que 61% reduzam o custo do uso de um telefone celular, 52% o custo da telefonia fixa, enquanto cerca da metade “cortar√°” o dinheiro que pagam pela conex√£o de banda larga via dispositivos m√≥veis.

De fato, as pesquisas sugerem que muitos consumidores vão mudar ou aumentar o uso de serviços alternativos, como voz sobre IP e voz sobre redes sociais.

O elemento mais interessante da pesquisa da IBM é que nove em cada dez gregos transformaram a mídia social em um dos principais meios de comunicação, uma vez que a utilizam semanalmente.

De fato, essa tend√™ncia prevalece entre os mais jovens, pois 84% ‚Äč‚Äčdos consumidores com menos de 25 anos usam as redes sociais online, mesmo diariamente, enquanto o uso de v√≠deos da Internet tamb√©m √© alto, pois 46% dos consumidores veem transmite ou carrega v√≠deos do YouTube e de outros sites diariamente.

Segundo a pesquisa, “a principal fonte de informa√ß√£o para os consumidores gregos √© a pesquisa na Internet (para 73% dos consumidores que participaram da pesquisa), enquanto 64% dos consumidores preferem recomenda√ß√Ķes de parentes e amigos”.

“A pr√≥xima fonte mais popular s√£o as m√≠dias sociais (60%, 71% para o grupo com menos de 25 anos), como blogs, grupos de discuss√£o e sites de compartilhamento de conhecimento”. notado.

Al√©m disso, a pesquisa constata que os “clientes-embaixadores” dedicados da reputa√ß√£o dos provedores de telecomunica√ß√Ķes s√£o poucos em nosso pa√≠s, pois atingem apenas 22%, enquanto a maioria – cerca de 49% – mostra uma atitude competitiva em rela√ß√£o √†s empresas.

Ou seja, metade dos entrevistados da pesquisa n√£o parece feliz com a empresa que fornece servi√ßos de telecomunica√ß√Ķes.

“A demanda por aplicativos com altos requisitos de largura de banda continuar√° crescendo na Gr√©cia”, disse o chefe do departamento de telecomunica√ß√Ķes do departamento de provis√£o de servi√ßos da IBM Hellas SA, Sr. St. Liakos.

“Al√©m disso, o desenvolvimento da telefonia m√≥vel ainda est√° √† frente da telefonia fixa, incluindo a banda larga. Investimentos adicionais em capacidade e capacidades 4G devem ser acompanhados por pre√ßos adequados para garantir retorno de capital adequado.

Os CSPs precisam criar novos planos de neg√≥cios com novas pol√≠ticas de pre√ßos que atendam ao crescente consumo de largura de banda “. conclu√≠do.

A pesquisa do IBM Institute for Business Value teve como objetivo entender as prioridades dos consumidores sobre seus gastos, sua experi√™ncia com produtos e servi√ßos de comunica√ß√£o, fontes de informa√ß√£o sobre produtos e servi√ßos e sua atitude em rela√ß√£o aos provedores de telecomunica√ß√Ķes.

A pesquisa foi realizada na Austr√°lia, B√©lgica, Brasil, Fran√ßa, Alemanha, Rep√ļblica Tcheca, Gr√©cia, Emirados √Ārabes Unidos, Estados Unidos, Reino Unido, Jap√£o, √ćndia, Espanha e It√°lia. , Canad√°, China, M√©xico, √Āfrica do Sul, Cor√©ia do Sul, Holanda, Pol√īnia, Portugal, R√ļssia e Su√©cia.