3 técnicas para detectar e permanecer protegido contra malware

malware

Era uma vez, criar malware era apenas uma maneira de os desenvolvedores mostrarem suas habilidades em computadores e não serem usados ​​como uma maneira de gerar dinheiro fácil.

No nosso tempo, no entanto, isso mudou. A criação de malware se tornou a principal ocupação de hackers, que tentam espalhá-lo de qualquer maneira. E tornou-se a maior dor de cabeça para empresas e indivíduos, que estão tentando proteger seus sistemas contra ataques indesejados.

A boa notícia, porém, é que as pessoas de segurança on-line também se adaptaram e podem ajudar as empresas a eliminar o risco de malware. Vejamos algumas das maneiras de lidar com esses casos.

1º Teste de banco de dados de malware

Com a ajuda de uma API de controle de domínio mal-intencionado, você pode verificar se um domínio foi marcado como perigoso. Fontes conhecidas incluem:

PhishTank – Oferecendo um sistema de verificação com base na comunidade, o provedor é especializado em localizar e monitorar sites maliciosos conhecidos por realizar ataques de phishing.

Web of Trust (WOT) – O WOT classifica os domínios em diferentes categorias (positivas, neutras, questionáveis ​​ou negativas) com base nas informações do usuário obtidas de terceiros.

Vírus total – Este portal utiliza vários programas para proteção contra vírus e máquinas de detecção, além de detectar ações e conteúdo suspeitos em domínios que os usuários podem enviar para verificação.

Navegação segura do Google– Este serviço leva em consideração muitos URLs todos os dias e cria uma lista de todos os detalhes eletrônicos inseguros que foram identificados.

2º Controle WHOIS

Uma ameaça de malware também pode ser evitada graças ao serviço WHOIS. Isso ocorre porque muitos provedores de ameaças registram novos domínios o tempo todo para hospedar e executar seus ataques de malware. As informações que você pode encontrar aqui incluem as datas recentes de registro e vencimento de um site, seu nome de registro e país de origem, entre outros.

Além disso, os dados que podem ser obtidos através do WHOIS podem ser usados ​​por pesquisadores para associar domínios maliciosos pertencentes à mesma pessoa que fez uma listagem. Os bancos de dados podem ser pesquisados ​​em tempo real, à medida que surgem novos detalhes sobre sites maliciosos.

Terceiro Localizando e analisando ameaças maliciosas

Informações confiáveis ​​sobre ameaças maliciosas são vitais para neutralizar as ofensas de hackers. Sem eles, os pesquisadores de segurança operariam cegamente, enquanto seus oponentes teriam toda a visibilidade necessária para penetrar nas defesas de uma rede. Várias ferramentas de informações para ameaças podem ser obtidas para esse fim:

Feeds de malware – Esses canais monitoram as tendências crescentes que podem ser indicativas de um novo e iminente ataque de malware, permitindo que os usuários ajustem suas medidas de segurança no ciberespaço e estejam um passo à frente.

SIEM (Gerenciamento de informações e eventos de segurança) – As ferramentas SIEM são usadas por muitas equipes de detecção de ameaças para monitorar o fluxo de dados na rede, permitindo que eles detectem e respondam às ameaças recebidas.

Plataforma de inteligência contra ameaças – Este software pode fornecer informações e recomendações sobre casos suspeitos, que podem conter malware, examinando vários parâmetros, como certificados de segurança para domínios de destino.

Felizmente, existem algumas ferramentas que podem nos ajudar na eterna batalha contra ataques maliciosos!

Artigos Relacionados

Back to top button